Brucelose e tuberculose bovinas na América do Sul

  • José Soares Ferreira Neto Universidade de São Paulo, Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia, Departamento de Medicina Veterinária Preventiva e Saúde Animal
Palavras-chave: Brucelose bovina, Tuberculose bovina, América do Sul, Situação epidemiológica

Resumo

De maneira geral, os países da Europa e da América do Norte, além da Austrália e da Nova Zelândia, já erradicaram ou atingiram bons níveis de controle da brucelose e da tuberculose bovinas. Entretanto, no restante do mundo, raramente a situação epidemiológica dessas duas doenças é adequadamente conhecida. Neste artigo de revisão são apresentados dados de quantificação dessas importantes enfermidades nos países da América do Sul. Inicialmente são apresentadas as características que concorreram para que atualmente o continente tenha 25% do efetivo bovino mundial e uma posição de destaque no mercado internacional de carnes. Os países foram então alocados em três grupos, levando em consideração o tamanho da população bovina e a qualidade da quantificação referente à situação epidemiológica da brucelose e da tuberculose bovinas. Argumenta-se que países que não geram dados epidemiológicos quantitativos de alta qualidade em relação a essas doenças têm sérias limitações para traçar estratégias eficazes de combate e são incapazes de realizar a gestão dos processos. Conclui-se que os países que desejam ser exitosos no combate à brucelose e tuberculose bovinas deveriam ao menos utilizar metodologias para estimar a prevalência de focos.

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
2018-07-26
Como Citar
Ferreira Neto, J. (2018). Brucelose e tuberculose bovinas na América do Sul. Brazilian Journal of Veterinary Research and Animal Science, 55(2), e141139. https://doi.org/10.11606/issn.1678-4456.bjvras.2018.141139
Seção
ARTIGO DE REVISÃO