Prevalência e fatores de risco da infecção por Leptospira sp. em cães atendidos em clínicas veterinárias em João Pessoa, Paraíba, Nordeste do Brasil

  • Arthur Willian de Lima Brasil Universidade Federal de Campina Grande, Centro de Saúde e Tecnologia Rural
  • Diego Figueiredo da Costa Universidade Federal de Campina Grande, Centro de Saúde e Tecnologia Rural
  • Carla Lauise Rodrigues Menezes Pimenta Universidade Federal de Campina Grande, Centro de Saúde e Tecnologia Rural
  • Roberta Nunes Parentoni Universidade Federal de Campina Grande, Centro de Saúde e Tecnologia Rural
  • Clebert José Alves Universidade Federal de Campina Grande, Centro de Saúde e Tecnologia Rural
  • Carolina de Sousa Américo Batista Santos Universidade Federal de Campina Grande, Centro de Saúde e Tecnologia Rural
  • Sérgio Santos de Azevedo Universidade Federal de Campina Grande, Centro de Saúde e Tecnologia Rural
Palavras-chave: Leptospirose canina, Soroaglutinação microscópica, Epidemiologia, Controle, Fatores de risco

Resumo

  O presente trabalho investigou a prevalência e os fatores de risco associados à infecção por Leptospira sp. em cães atendidos em clínicas veterinárias da cidade de João Pessoa, Estado da Paraíba, Nordeste do Brasil. Foram utilizadas 384 amostras sanguíneas de cães provenientes de 34 clínicas veterinárias no período de abril de 2015 a maio de 2016. O diagnóstico da infecção por Leptospira sp. foi realizado com o emprego reação de Soroaglutinação Microscópica (SAM), utilizando uma coleção com 20 antígenos patogênicos e adotando como ponto de corte a diluição 1:100. Foi aplicado um questionário epidemiológico aos proprietários dos animais para obtenção de dados a serem utilizados na análise de fatores de risco. A prevalência de animais soropositivos foi de 11,7% (45/384), com reações para os sorogrupos Icterohaemorrhagiae (62,3%), Grippotyphosa (22,2%), Canicola (13,3%), Djasiman (2,2%) e Pomona (2,2%). Foram identificados os seguintes fatores de risco: idade entre 49 e 72 meses (odds ratio = 2,74), idade maior que 72 meses (odds ratio = 3,22), e limpeza mensal do ambiente onde os animais permanecem (odds ratio = 10,70). Conclui-se que cães atendidos em clínicas veterinárias de João Pessoa estão expostos à infecção por Leptospira sp., com predominância de sorogrupos mantidos por animais selvagens, e foi sugerida a realização da limpeza periódica do ambiente ocupado pelos animais.

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
2018-11-07
Como Citar
Brasil, A. W., da Costa, D., Pimenta, C., Parentoni, R., Alves, C. J., Santos, C., & de Azevedo, S. (2018). Prevalência e fatores de risco da infecção por <i>Leptospira</i&gt; sp. em cães atendidos em clínicas veterinárias em João Pessoa, Paraíba, Nordeste do Brasil. Brazilian Journal of Veterinary Research and Animal Science, 55(3), e144154. https://doi.org/10.11606/issn.1678-4456.bjvras.2018.144154
Seção
ARTIGO COMPLETO