Soroprevalência do vírus da imunodeficiência felina e do vírus da leucemia felina em gatos domésticos de Fortaleza, Ceará

  • Mariana Araújo Rocha Universidade Estadual do Ceará, Faculdade de Medicina Veterinária https://orcid.org/0000-0002-7683-7734
  • Reginaldo Pereira Sousa Filho Universidade Estadual do Ceará, Faculdade de Medicina Veterinária
  • Keytyanne Oliveira Sampaio Universidade Federal Rural de Pernambuco
  • Marina Gabriela Monteiro Carvalho Mori da Cunha Katholieke Universiteit Leuven
Palavras-chave: Felis catus, Infecção, Retroviruses, Lentivirus, Epidemiologia

Resumo

O Vírus da Imunodeficiência Felina (FIV) e o Vírus da Leucemia Felina (FeLV) são importantes agentes etiológicos de doenças imunossupressoras em felinos. O objetivo do presente estudo foi determinar a prevalência desses retrovírus em gatos domésticos em Fortaleza, Ceará e os fatores epidemiológicos associados a essas infecções. Entre 2015 e 2016, foram coletadas 138 amostras de sangue e testadas para FIV e FeLV pelo ensaio de imunoadsorção enzimática (ELISA). Parâmetros como raça, gênero, idade, estado reprodutivo, ambiente com vários gatos, acesso ao ar livre e manifestações clínicas foram avaliados. Os resultados mostraram que 12,32% foram positivos para o FIV, 5,80% para o FeLV e 1,45% para a co-infecção (FIV/FeLV). Os animais FIV+ eram na sua maioria gatos machos castrados, adultos, de raça mista, com estilo de vida dentro de casa e vivendo em um ambiente com vários gatos. A manifestação clínica mais comum observada foi distúrbios da cavidade oral. Os fatores encontrados que aumentam o risco de soropositividade para FeLV incluem gatas fêmeas castradas, jovens, de raça mista, com estilo de vida dentro de casa e vivendo em um ambiente com vários gatos, foram os fatores epidemiológicos mais comuns observados. A manifestação clínica mais comum foi anorexia e apatia. A prevalência desses vírus foi relativamente alta em comparação com outras regiões do Brasil. Este estudo demonstrou que os animais de raça mista, castrados, vivendo em um ambiente com vários gatos e estilo de vida dentro de casa são de maior relevância para as doenças infecciosas por FIV e FeLV. Fatores relacionados à demografia e à saúde do gato, como idade, sexo e tipo de domicílio, são importantes preditores do estado soropositivo para FeLV ou FIV em Fortaleza. A alta prevalência de FeLV ou FIV observada em nosso estudo é preocupante, tendo em vista o potencial imunossupressor dos dois patógenos.

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
2019-07-01
Como Citar
Rocha, M., Sousa Filho, R., Sampaio, K., & Cunha, M. G. (2019). Soroprevalência do vírus da imunodeficiência felina e do vírus da leucemia felina em gatos domésticos de Fortaleza, Ceará. Brazilian Journal of Veterinary Research and Animal Science, 56(1), e146687. https://doi.org/10.11606/issn.1678-4456.bjvras.2019.146687
Seção
ARTIGO COMPLETO