Aspectos anatômicos da macro e microvascularização da placenta em ovinos (Ovis aries)

  • Luciana Silveira Flores Schoenau Universidade Federal de Santa Maria, Centro de Ciências da Saúde, Departamento de Morfologia, Setor de Anatomia Animal, Santa Maria, RS
  • Luciano de Morais Pinto Universidade de São Paulo, Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia, Departamento de Cirurgia, São Paulo, SP
  • Flávia Thomaz Verechia Pereira Universidade Estadual Paulista, Faculdade de Zootecnia, Dracena, SP
  • William Schoenau Universidade Federal de Santa Maria, Centro de Ciências da Saúde, Departamento de Fisiologia, Santa Maria, RS
  • Maria Angélica Miglino Universidade de São Paulo, Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia, Departamento de Cirurgia, São Paulo, SP
Palavras-chave: Placenta, Microvascularização, Ovelha

Resumo

A placenta possui sistemas vasculares essenciais e intimamente associados. A sua efetividade está relacionada ao tipo de fluxo sanguíneo entre as circulações materno e fetal e assim com a morfologia da vascularização. Esta pesquisa teve como objetivo, estudar os aspectos anatômicos da vascularização macro e microscópica da placenta de ovinos, mestiços das raças Corriedale e Ideal, que vivem próximos do nível do mar e a sistematização dos vasos fetais desde o funículo umbilical até o leito capilar. Os cotilédones dos ovinos são esferóides na sua maioria e recebem de um a quatro ramos vasculares em sua concavidade central. Anastomoses dos vasos do funículo umbilical ocorrem somente entre artérias. Entre os ramos dos vasos coriônicos, as anastomoses são mais freqüentes em veias do que nas artérias. Foram encontrados 187 tipos de arranjos arteriocotiledonários diferentes. A artéria coriônica dirigida ao corno gestante possui um trajeto mais curto e emite menos ramos cotiledonários que a do corno não gestante. A veia coriônica é formada pela confluência de dois ramos e recebe confluentes colaterais que freqüentemente se anastomosam entre si. A microvascularização do cotilédone fetal foi estudada em microscopia eletrônica de varredura e está representada pela presença de árvores vilosas cônicas e com relato de alças capilares em forma de leque. As características microscópicas da placenta refletemas características do desenvolvimento viloso placentário determinada pela altitude na qual os animais vivem (a 95 m do nível do mar).

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
2005-12-01
Como Citar
Schoenau, L., Pinto, L., Pereira, F., Schoenau, W., & Miglino, M. (2005). Aspectos anatômicos da macro e microvascularização da placenta em ovinos (Ovis aries). Brazilian Journal of Veterinary Research and Animal Science, 42(6), 405-413. https://doi.org/10.11606/issn.1678-4456.bjvras.2005.26398
Seção
NÃO DEFINIDA