Estudo retrospectivo dos casos de enterolitíase e corpo estranho em intestino grosso de eqüinos, no período de janeiro de 1993 a janeiro de 2003

  • Rodrigo Romero Corrêa Universidade Anhembi Morumbi, Faculdade de Veterinária, São Paulo, SP
  • André Luís do Valle Zoppa Universidade de São Paulo, Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia, Departamento de Cirurgia, São Paulo, SP
  • Luís Cláudio Lopes Correia da Silva Universidade de São Paulo, Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia, Departamento de Cirurgia, São Paulo, SP
  • Wilson Roberto Fernandes Universidade de São Paulo, Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia, Departamento de Clínica Médica, São Paulo, SP
  • Raquel Yvonne Arantes Baccarin Universidade de São Paulo, Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia, Departamento de Clínica Médica, São Paulo, SP
  • Rodrigo Silvério Ferreira da Cruz Universidade de São Paulo, Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia, Departamento de Cirurgia, São Paulo, SP
  • Denise Tabacchi Fantoni Universidade de São Paulo, Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia, Departamento de Cirurgia, São Paulo, SP
Palavras-chave: Eqüinos, Cirurgia, Enterólitíase, Corpo estranho, Abdômen agudo

Resumo

No período de janeiro de 1993 a janeiro de 2003, foram realizados 195 procedimentos cirúrgicos de abdômen agudo em eqüinos, no Serviço de Cirurgia de Grandes Animais do Hospital Veterinário da Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia da Universidade de São Paulo. Dentre eles, foram diagnosticados 30 casos de enterolitíase e sete casos de corpo estranho, localizados em intestino grosso. Das 37 laparotomias, 35 foram realizadas em decúbito dorsal com acesso pela linha média e duas em estação com acesso pelo flanco. Os animais apresentaram idade variando de um a dezoito anos com média de oito anos, sendo 25 machos e 13 fêmeas. As formações e corpos estranhos apresentaram a seguinte localização: 13 (35,14%) em cólon maior, 19 (51,35%) em cólon menor, 03 (8,10%) em cólon transverso e 02 (5,41%) em cólon transverso e menor. Em relação à evolução, 23 (62,16%) receberam alta e 14 (37,84%) evoluíram para óbito (6) ou foram submetidos à eutanásia (8). Seis procedimentos de eutanásia foram realizados no período trans-operatório e dois no período pós-operatório. Dentre os animais que apresentaram evolução satisfatória, destacam-se um caso em que foram retirados sete enterólitos e outro em que a ponta de um prego que era o núcleo do enterólito se mantinha proeminente e em contato com a mucosa intestinal. Comparativamente às demais afecções do intestino grosso dos eqüinos e pela análise dos resultados obtidos neste estudo, conclui-se que os processos obstrutivos causados por enterólitos ou corpos estranhos apresentam prognóstico favorável.

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
2006-04-01
Como Citar
Corrêa, R., Zoppa, A., Silva, L., Fernandes, W., Baccarin, R., Cruz, R., & Fantoni, D. (2006). Estudo retrospectivo dos casos de enterolitíase e corpo estranho em intestino grosso de eqüinos, no período de janeiro de 1993 a janeiro de 2003. Brazilian Journal of Veterinary Research and Animal Science, 43(2), 242-249. https://doi.org/10.11606/issn.1678-4456.bjvras.2006.26505
Seção
NÃO DEFINIDA