Injeção epidural de cetamina ou cetamina levógira no controle da dor pós-incisional, em eqüinos

  • Nilson Oleskovicz Universidade Estadual Paulista, Faculdade de Ciências Agrárias e Veterinárias, Departamento de Clínica e Cirurgia Veterinária, Jaboticabal, SP
  • Carlos Augusto Araújo Valadão Universidade Estadual Paulista, Faculdade de Ciências Agrárias e Veterinárias, Departamento de Clínica e Cirurgia Veterinária, Jaboticabal, SP
  • Juan Carlos Duque M Universidade Estadual Paulista, Faculdade de Ciências Agrárias e Veterinárias, Departamento de Clínica e Cirurgia Veterinária, Jaboticabal, SP
  • Anderson Farias Universidade Estadual Paulista, Faculdade de Ciências Agrárias e Veterinárias, Departamento de Clínica e Cirurgia Veterinária, Jaboticabal, SP
Palavras-chave: Cetamina S ( ), Hiperalgesia, Von Frey, Eqüinos

Resumo

O objetivo deste estudo foi avaliar o efeito analgésico da administração prévia de cetamina S(+) ou cetamina, na dor pós-inciosal em eqüinos. Utilizaram-se, em um estudo duplo-cego ao acaso, 16 éguas com idade de 6±2 anos, pesando 273,2 ± 42,0 kg. 24 horas antes do início do experimento introduziu-se um cateter epidural. No dia seguinte, as regiões isquiáticas direita e esquerda foram tricotomizadas e, a sensibilidade cutânea aferida utilizando-se os filamentos de Von Frey, tempo -30 (T-30). Realizou-se bloqueio anestésico em linha, no lado direito e, 25 minutos após administrou-se através do cateter epidural cetamina S(+) no G1 e cetamina no G2. Cinco minutos após a injeção de cetamina, realizou-se uma incisão de pele de 10 cm no lado direito, seguida de sutura. Avaliou-se a dor pós-incisional, utilizando-se os filamentos de Von Frey, a 1, 3 e 5 cm ao redor da incisão (lado incindido) e a sensibilidade cutânea (lado controle), em intervalos de 15 minutos, por 2 horas e então, 4, 6 e 8 horas após a sutura de pele. Não foram observadas alterações nas freqüências cardíaca ou respiratória e temperatura retal entre os grupos ou entre os tempos de cada grupo. Observou-se ataxia de membros pélvicos em 62,5% e 12,5% dos animais, para o G1 e G2, respectivamente. A cetamina S(+) e cetamina reduziram a sensibilidade cutânea no lado direito e esquerdo, para os estímulos mecânicos produzidos pelos filamentos de Von Frey, durante todo os período experimental. A cetamina S(+) e cetamina produziram duração de efeito analgésico similares e não interferiram nos parâmetros cardiorrespiratórios. Observou-se ataxia mais intensa e potência anestésica superior nos primeiros 60 minutos após a administração de cetamina S(+).

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
2006-02-01
Como Citar
Oleskovicz, N., Valadão, C., M, J., & Farias, A. (2006). Injeção epidural de cetamina ou cetamina levógira no controle da dor pós-incisional, em eqüinos. Brazilian Journal of Veterinary Research and Animal Science, 43(1), 24-32. https://doi.org/10.11606/issn.1678-4456.bjvras.2006.26514
Seção
NÃO DEFINIDA