Contaminação do ar por Aspergillus em ambiente de reabilitação de animais marinhos

  • Melissa Orzechowski Xavier Universidade Federal de Pelotas, Faculdade de Veterinária, Departamento de Veterinária Preventiva, Pelotas, RS
  • Isabel Martins Madrid Universidade Federal de Pelotas, Faculdade de Veterinária, Departamento de Veterinária Preventiva, Pelotas, RS
  • Marlete Brum Cleff Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Faculdade de Veterinária, Porto Alegre, RS
  • Ângela Leitzke Cabana Universidade Federal de Pelotas, Faculdade de Veterinária, Departamento de Veterinária Preventiva, Pelotas, RS
  • Rodolfo Pinho da Silva Filho Universidade Federal de Rio Grande, Centro de Recuperação de Animais Marinhos de Rio Grande, Rio Grande, RS
  • Mário Carlos Araújo Meireles Universidade Federal de Pelotas, Faculdade de Veterinária, Departamento de Veterinária Preventiva, Pelotas, RS
Palavras-chave: Ar, Aspergilose, Pingüim, Micologia, Aves marinhas

Resumo

Espécies fúngicas do gênero Aspergillus são frequentemente associadas com alta mortalidade de aves marinhas em cativeiro. Tendo em vista que a aspergilose geralmente é adquirida pela inalação dos propágulos fúngicos presentes no ar, o estudo objetivou avaliar a qualidade do ar quanto às espécies de Aspergillus, das instalações internas de um centro de reabilitação de animais marinhos que frequentemente recebe pingüins, gaivotas, albatrozes e petréis acometidos por alguma moléstia. Oitenta e um dias de colheitas foram realizados distribuídos em um período de aproximadamente dois anos, através da exposição de placas de Petri contendo Agar Sabouraud dextrose acrescido de cloranfenicol no ambiente, as quais foram posteriormente incubadas a 25ºC. As colônias identificadas como pertencentes ao gênero Aspergillus, foram classificadas quanto à espécie através da avaliação macro e micro morfológica associada a uma chave de identificação. Foram obtidos 43 isolados classificados em sete espécies distintas, sendo A. fumigatus a predominante correspondendo a 27,9%, seguida de A. niger, A. flavus e outras quatro espécies de Aspergillus sp., demonstrando que as aves marinhas estão expostas a espécies fúngicas com potencial patogênico, o que enfatiza a necessidade de um controle microbiológico no ambiente onde são mantidos os animais em cativeiro.

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
2008-06-01
Como Citar
Xavier, M., Madrid, I., Cleff, M., Cabana, Ângela, Silva Filho, R., & Meireles, M. (2008). Contaminação do ar por Aspergillus em ambiente de reabilitação de animais marinhos. Brazilian Journal of Veterinary Research and Animal Science, 45(3), 174-179. https://doi.org/10.11606/issn.1678-4456.bjvras.2008.26694
Seção
NÃO DEFINIDA