Estudo quantitativo e morfológico das regiões organizadoras de nucléolo coradas pela prata (AgNORs) em neoplasias benignas e malignas da glândula mamária da espécie canina

  • Alexander Proazzi Vaz-Curado Universidade de São Paulo, Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia, Departamento de Patologia, São Paulo, SP
  • José Luiz Guerra Universidade de São Paulo, Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia, Departamento de Patologia, São Paulo, SP
  • Ricardo Augusto Dias Universidade de São Paulo, Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia, Departamento de Medicina Veterinária Preventiva e Saúde Animal, São Paulo, SP
Palavras-chave: AgNORs, Neoplasia mamária, Prognóstico, Análise morfológica, Cães

Resumo

O alvo deste estudo foi apresentar um novo método de avaliação das regiões organizadoras de nucléolos (NORs), objetivando verificar a correlação entre malignidade das células tumorais com proliferação celular. Vinte e nove tumores foram analisados quanto aos aspectos morfológicos e quantitativos de regiões organizadoras de nucléolos coradas pela prata (AgNORs) e comparados à quatro glândulas mamárias normais utilizadas como controle. Os dados obtidos foram tratados pelos testes não-paramétrico de Kruskal-Wallis e "U" de Mann-Whitney. Os números médios de NORs dos grupos neoplásicos malignos incluindo carcinomas tubulares (2,14 ± 0,54), carcinomas papilíferos (1,79 ± 0,24) e carcinomas sólidos (1,95 ± 0,30) mostraram diferença significativa quando comparados ao grupo controle (1,16 ± 0,08). A análise morfológica das AgNORs mostrou que o padrão de apresentação da NORs do tipo I prevaleceu nos grupos neoplásicos benignos (75% dos casos de adenoma tubular e 50% dos casos de carcinoma tubular), enquanto o tipo II prevaleceu nos grupos neoplásicos de comportamento maligno (54,5 % dos carcinomas papilíferos e 100% dos carcinomas sólidos). O grupo controle mostrou na sua totalidade (100% dos casos) predominância de NORs do tipo IV. O padrão do Tipo III não predominou em nenhum dos grupos envolvidos neste estudo. A análise da morfologia das AgNORs é uma ferramenta útil na determinação do prognóstica de alterações neoplásicas da glândula mamária canina.

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
2008-06-01
Como Citar
Vaz-Curado, A., Guerra, J., & Dias, R. (2008). Estudo quantitativo e morfológico das regiões organizadoras de nucléolo coradas pela prata (AgNORs) em neoplasias benignas e malignas da glândula mamária da espécie canina. Brazilian Journal of Veterinary Research and Animal Science, 45(3), 211-220. https://doi.org/10.11606/issn.1678-4456.bjvras.2008.26699
Seção
NÃO DEFINIDA