Prevalência dos tipos sangüíneos A, B e AB em gatos domésticos mestiços da cidade de Porto Alegre, Rio Grande do Sul, Brasil

  • Luciana de Almeida Lacerda Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Faculdade de Veterinária, Laboratório de Análises Clínicas Veterinárias, Porto Alegre, RS
  • Simone Tostes de Oliveira Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Faculdade de Veterinária, Laboratório de Análises Clínicas Veterinárias, Porto Alegre, RS
  • Tatiana Amaral Guerra Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Faculdade de Veterinária, Laboratório de Análises Clínicas Veterinárias, Porto Alegre, RS
  • Gisele Guiomara Stein Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Faculdade de Veterinária, Laboratório de Análises Clínicas Veterinárias, Porto Alegre, RS
  • Félix Hilario Díaz González Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Faculdade de Veterinária, Laboratório de Análises Clínicas Veterinárias, Porto Alegre, RS
Palavras-chave: Imunohematologia, Tipos sangüíneos, Gatos

Resumo

O presente estudo teve como objetivo determinar a prevalência dos tipos sangüíneos em felinos domésticos, mestiços, da cidade de Porto Alegre, Rio Grande do Sul, Brasil. Foram selecionados aleatoriamente 100 gatos, clinicamente saudáveis, mestiços e sem parentesco entre si. Amostras de sangue foram coletadas da veia jugular e a tipagem sangüínea foi realizada através do teste RapidVet H Feline (DMS Laboratories, Flemington, USA) e do teste hemaglutinação em tubo de ensaio. A tipagem reversa foi realizada para confirmar o tipo e a presença de aloanticorpos naturais. No presente estudo encontrou-se prevalência de 97% e 3% de gatos do tipo A e B, respectivamente. Não foram encontrados gatos do tipo AB. Os resultados indicam que no sul do Brasil há uma alta prevalência de gatos domésticos mestiços do tipo A, entretanto a prevalência de gatos do tipo B encontrada no trabalho é mais alta do que aquelas relatadas em alguns países. O conhecimento da prevalência dos tipos sangüíneos da população de gatos de uma região pode auxiliar na determinação dos riscos de reações transfusionais e de ocorrência de isoeritrólise neonatal, e estes podem ser prevenidos através de tipagem sangüínea e teste de compatibilidade sangüínea.

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
2008-12-01
Como Citar
Lacerda, L., Oliveira, S., Guerra, T., Stein, G., & González, F. (2008). Prevalência dos tipos sangüíneos A, B e AB em gatos domésticos mestiços da cidade de Porto Alegre, Rio Grande do Sul, Brasil. Brazilian Journal of Veterinary Research and Animal Science, 45(supl.), 46-53. https://doi.org/10.11606/S1413-95962008000700006
Seção
NÃO DEFINIDA