Hemograma e bioquímica sérica de tartarugas cabeçudas (Caretta caretta) de vida livre e mantidas em cativeiro, no litoral norte da Bahia

  • Thaís Torres Pires Universidade Federal da Bahia, Escola de Medicina Veterinária, Departamento de Patologia e Clínicas, Salvador, BA
  • Gonzalo Rostan Projeto TAMAR-ICMBio, Mata de São João, BA
  • Thereza Cristina Calmon de Bittencourt Universidade Federal da Bahia, Escola de Medicina Veterinária, Departamento de Produção Animal, Salvador, BA
  • José Eugênio Guimarães Universidade Federal da Bahia, Escola de Medicina Veterinária, Departamento de Patologia e Clínicas, Salvador, BA
Palavras-chave: Hemograma, Bioquímica sérica, Tartaruga marinha cabeçuda

Resumo

Com o objetivo de se obter dados que auxiliem na rotina clínica de tartarugas marinhas, realizou-se o hemograma e a determinação de alguns parâmetros bioquímicos séricos de fêmeas de tartarugas cabeçudas (Caretta caretta) de vida livre (n = 22), animais que desovam no Litoral Norte da Bahia, e em cativeiro (n = 5), animais mantidos no Centro de Visitantes do Projeto Tamar-ICMBio, na Praia do Forte, Brasil. Os valores obtidos para os dois grupos foram comparados, onde se observou diferença estatística significativa (p<0,05) para as contagens relativas e absolutas de eosinófilos e contagem relativa de monócitos dentre as variáveis do hemograma e, para a proteína total, globulina, glicose, colesterol e aspartato aminotransferase. Possivelmente, diferenças nas condições ambientais, nutricionais e reprodutivas, as quais estes animais foram submetidos, influenciaram nos resultados.

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
2009-02-01
Como Citar
Pires, T., Rostan, G., Bittencourt, T., & Guimarães, J. (2009). Hemograma e bioquímica sérica de tartarugas cabeçudas (Caretta caretta) de vida livre e mantidas em cativeiro, no litoral norte da Bahia. Brazilian Journal of Veterinary Research and Animal Science, 46(1), 11-18. https://doi.org/10.11606/issn.1678-4456.bjvras.2009.26744
Seção
NÃO DEFINIDA