Pesquisa de Salmonella e das condições sanitárias em frangos e lingüiças comercializados na cidade de Botucatu

  • Vera Lúcia Mores Rall Universidade Estadual Paulista, Departamento de Microbiologia e Imunologia, Botucatu, SP
  • José Guilherme Prado Martin Universidade Estadual Paulista, Departamento de Microbiologia e Imunologia, Botucatu, SP
  • João Manuel Grisi Candeias Universidade Estadual Paulista, Departamento de Microbiologia e Imunologia, Botucatu, SP
  • Karen Franco Godoy Cardoso Universidade Estadual Paulista, Departamento de Microbiologia e Imunologia, Botucatu, SP
  • Márcia Guimarães da Silva Universidade Estadual Paulista, Faculdade de Medicina, Departamento de Patologia, Botucatu, SP
  • Ricardo Rall Faculdade de Tecnologia, Botucatu, SP
  • João Pessoa Araújo Júnior Universidade Estadual Paulista, Departamento de Microbiologia e Imunologia, Botucatu, SP
Palavras-chave: Frango, Lingüiça, Coliformes, Salmonella, PCR

Resumo

O objetivo do trabalho foi avaliar as condições sanitárias de frango e diversos tipos de lingüiças comercializados na cidade de Botucatu,São Paulo, pela determinação do número mais provável de coliformes a 45ºC/g além da pesquisa de Salmonella pela metodologia tradicional e pela PCR. Foram coletadas 50 amostras de carcaça de frango e 75 de lingüiças frescais, procedentes de nove estabelecimentos diferentes da cidade, no período de abril a novembro de 2006. Das 50 amostras de frango, 35 (70%) estavam fora dos parâmetros microbiológicos, segundo a RDC nº12 da Anvisa (>;10(4) coliformes a 45ºC/g). Embora nessa Resolução, a pesquisa de Salmonella não seja exigida, 4 amostras (8%) apresentaram o patógeno pela metodologia tradicional. Essa presença foi confirmada pela PCR, que também foi positiva para mais 23 amostras, num total de 27 positivas (54%). Dentre as 75 amostras de lingüiças, 30 (40%) estavam fora dos limites permitidos, com 7 amostras positivas para Salmonella, pela metodologia tradicional. Entretanto, se considerar-se a pesquisa pela PCR, o número de amostras positivas aumenta para 42 (56%). Somando-se a taxa de freqüência de Salmonella aos limites microbiológicos para coliformes a 45ºC, 86,7% das lingüiças analisadas estavam impróprias para o consumo.

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
2009-06-01
Como Citar
Rall, V., Martin, J., Candeias, J., Cardoso, K., Silva, M., Rall, R., & Araújo Júnior, J. (2009). Pesquisa de Salmonella e das condições sanitárias em frangos e lingüiças comercializados na cidade de Botucatu. Brazilian Journal of Veterinary Research and Animal Science, 46(3), 167-174. https://doi.org/10.11606/issn.1678-4456.bjvras.2009.26763
Seção
NÃO DEFINIDA