Avaliação do desempenho de frangos de corte alimentados com rações contendo probiótico e diferentes níveis de nucleotídeos

  • João Batista Canevari Bruno Universidade de São Paulo, Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia, Departamento de Nutrição e Produção Animal, Pirassununga, SP
  • Ricardo de Albuquerque Universidade de São Paulo, Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia, Departamento de Nutrição e Produção Animal, Pirassununga, SP
  • Leonila Ester Raspantini Universidade de São Paulo, Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia, Departamento de Patologia, Centro de Pesquisa em Toxicologia Veterinária, São Paulo, SP
  • Estela Kobashigawa Universidade de São Paulo, Faculdade de Zootecnia e Engenharia de Alimentos, Departamento de Zootecnia, Pirassununga, SP
  • Messias Alves da Trindade Neto Universidade de São Paulo, Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia, Departamento de Nutrição e Produção Animal, Pirassununga, SP
  • Lucio Francelino Araújo Universidade de São Paulo, Faculdade de Zootecnia e Engenharia de Alimentos, Departamento de Zootecnia, Pirassununga, SP
  • Ramalho José Barbosa Rodrigueiro CJ do Brasil, São Paulo, SP
Palavras-chave: Aditivos, Alimentação, Desempenho, Bases Pirimídicas, Bases Púricas

Resumo

O objetivo deste trabalho foi avaliar o desempenho de frangos de corte alimentados com ração contendo um probiótico comercial e diferentes níveis de nucleotídeos. Foram utilizados 1050 pintos de 01 dia, machos da linhagem Ross 308 totalizando trinta e cinco aves por boxe, em um delineamento inteiramente casualizado com cinco repetições por tratamento. As aves foram criadas até 42 dias de idade, e receberam as rações experimentais a base de milho e farelo de soja contendo 6 níveis de nucleotídeos (0; 100; 200; 300; 400 e 500 gramas por tonelada de ração). Os nucleotídeos foram utilizados na fase inicial (1 a 21 dias) e fase de crescimento (22 a 35 dias). Durante a fase final (36 a 42 dias) os nucleotídeos foram removidos da ração . Houve melhora linear no desempenho dos frangos no período de 1 a 21 dias, indicando que, quanto maior o nível de nucleotídeos na dieta, maior o peso corporal das aves. A conversão alimentar também melhorou linearmente nesse período à medida que aumentou o nível de nucleotídeos na ração. O peso no período de 35 dias, também teve um comportamento linear, semelhante ao período de 1 a 21 dias, indicando que, o nível de nucleotídeos na ração melhorou o desempenho. A concentração plasmática de acido úrico demonstrou efeito quadrático no período de 1 a 21 dias, indicando 231,59 gramas de nucleotídeos por tonelada de ração, como o melhor, em níveis mínimos de ácido úrico, por outro lado, no período de 35 dias de idade, estimou-se o nível de 208,99 g de nucleotídeos por tonelada de ração; como o melhor em níveis mínimos de ácido úrico no sangue. No período final (35 a 42 dias) e período total (1 a 42 dias de idade) não foi possível o observar efeito dos contrastes testados neste trabalho.

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
2012-02-03
Como Citar
Bruno, J. B., Albuquerque, R., Raspantini, L. E., Kobashigawa, E., Trindade Neto, M., Araújo, L., & Rodrigueiro, R. J. (2012). Avaliação do desempenho de frangos de corte alimentados com rações contendo probiótico e diferentes níveis de nucleotídeos. Brazilian Journal of Veterinary Research and Animal Science, 49(1), 5-11. https://doi.org/10.11606/issn.2318-3659.v49i1p5-11
Seção
NÃO DEFINIDA