Estudo da via intramedular como protocolo alternativo para a infusão de fluidos em cães jovens

  • Pedro Luiz de Camargo Universidade Estadual de Londrina, Departamento de Clínicas Veterinárias, Londrina, PR
  • Helena Ferreira Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho, Departamento de Clínica Veterinária, Botucatu, SP
  • Carmem Esther Grumadas Machado Universidade Estadual de Londrina, Departamento de Clínicas Veterinárias, Londrina, PR
  • Domingos José Sturion Universidade Estadual de Londrina, Departamento de Clínicas Veterinárias, Londrina, PR
  • Janis Regina Messias Gonzales Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho, Departamento de Clínica Veterinária, Botucatu, SP
Palavras-chave: Medula óssea, Transfusão, Técnicas, Cães.

Resumo

0 uso da via intramedular foi avaliado em 31 cães clinicamente normais, de até três meses de idade e com peso entre 920 e 3.385 g, divididos, aleatoriamente, em grupo 1 (G1), com 15 animais, e grupo 2 (G2), com 16. Aqueles do G1 foram tratados com NaCI a 0,9% e os do G2 com sangue total. Foram anotados os tempos gastos para implantação da agulha, as velocidades máximas de infusão obtidas e as ocorrências havidas durante o período de infusão. Todos os animais foram avaliados clinicamente durante os 30 dias de experimentação e por meio de radiografias nos dias 15 e 30 do experimento. Constatou-se que a técnica é de fácil e rápida execução e pouco cruenta. Os resultados observados indicam que a via intramedular é segura, sendo uma alternativa valiosa à via intravenosa no tratamento de filhotes de cães com graves alterações hemodinâmicas.

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
1996-12-01
Como Citar
Camargo, P. L. de, Ferreira, H., Machado, C. E., Sturion, D. J., & Gonzales, J. R. (1996). Estudo da via intramedular como protocolo alternativo para a infusão de fluidos em cães jovens. Brazilian Journal of Veterinary Research and Animal Science, 33(4), 235-238. https://doi.org/10.11606/issn.2318-3659.v33i4p235-238
Seção
PATOLOGIA ANIMAL