Vascularização arterial do testículo de suínos

  • Aníbal de Sant'anna Moretti Universidade de São Paulo, Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia, São Paulo, SP
  • Vicente Borelli Universidade de São Paulo, Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia, São Paulo, SP
  • Gilson Toniollo Universidade Estadual Paulista, Faculdade de Ciências Agrárias e Veterinárias, Jaboticabal, SP
Palavras-chave: Anatomia (suínos), Testículos, Artérias, Suínos

Resumo

Utilizando 30 pares de testículos de suínos, com idade compreendida entre 6 a 10 meses, procedentes do Campus Administrativo de Pirassununga, da Universidade de São Paulo e da Seara Industrial dc Xanxerê S.A., Santa Catarina, estudou-se a vascularização arterial mediante análise de moldes da artéria testicular, obtidos pela injeção de vynil. Na vascularização do órgão, a artéria testicular forneceu: (a) em 50,0% das preparações, número variável de ramos laterais e mediais, ocorrendo em 31,7%, predominância dos ramos laterais; (b) em 43,3% um ramo medial e outro lateral, havendo em 30% das peças, predomínio do ramo medial; (c) em 6,7% dos moldes, os ramos ventral e dorsal, notando-se predomínio do ramo ventral, na vascularização do órgão. Nas preparações em que a artéria testicular fornecia número variável de ramos laterais e mediais, observou-se em mediana e nos quadrantes dorsolateral, dorsomedial, ventrolateral e ventromedial, respectivamente, 27,0; 26,0; 38,0; 28,0 vasos penetrantes quanto da predominância dos laterais e 24,0; 24,0; 30,0 e 33,0 no caso do predomínio dos mediais. Quando a artéria testicular cedeu dois ramos, o medial e o lateral, os valores foram, respectivamcntc, 25,0; 24,0; 35,0; 28,0 com predominância do medial e de 33,0; 33,5; 38,0; 37,5 com predominância do lateral. Quando emitiu os ramos dorsal e ventral, verificou-se, respectivamente 30,5; 24,5; 26,5 e 28,0 quando da predominância do ventral. Observou-se em 30 preparações (50%) ramos laterais ou mediais cedendo vasos penetrantes a quadrantes opostos ao destino principal do vaso que lhe deu origem. Foi verificada a presença de ramos adicionais, específicos, originados da artéria testicular antes desta ceder os ramos lateral e medial, e os ramos ventral e dorsal. Foram identificadas em 95% das preparações, anastomoses entre a artéria testicular e seus ramos principais e colaterais, bem como dos ramos adicionais. A ocorrência se deu com maior freqüência na face caudal do órgão sob a albugínca e ainda entre ramos da artéria testicular e epididimários. Não houve diferença significativa no número total de vasos penetrantes dos testículos direito e esquerdo, ao nível de P >0,05.

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
1992-12-03
Como Citar
Moretti, A., Borelli, V., & Toniollo, G. (1992). Vascularização arterial do testículo de suínos. Brazilian Journal of Veterinary Research and Animal Science, 29(supl.), 345-352. https://doi.org/10.11606/issn.1678-4456.bjvras.1992.51999
Seção
CIÊNCIAS BÁSICAS