Estudo etiológico da infecção do trato urinário em cães

  • Marcia Mery Kogika Universidade de São Paulo, Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia, São Paulo, SP.
  • Vera Assunta Batistini Fortunato Universidade de São Paulo, Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia, São Paulo, SP.
  • Elsa Masae Mamizuka Universidade de São Paulo, Faculdade de Ciências Farmacêuticas, São Paulo, SP.
  • Mitika Kuribayashi Hagiwara Universidade de São Paulo, Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia, São Paulo, SP.
  • Maria de Fatima Borges Pavan Universidade de São Paulo, Faculdade de Ciências Farmacêuticas, São Paulo, SP.
  • Suely Nonogaki Actis Grosso Universidade de São Paulo, Faculdade de Ciências Farmacêuticas, São Paulo, SP.
Palavras-chave: Cães, Infecções Urinárias, Cistite, Pielonefrite

Resumo

Foram estudados 51 casos de infecção urinária, em cães, considerando-se diversos fatores, tais como: agente etiológico, localização da infecção, fatores predisponentes, sexo, idade e raça. O diagnóstico da infecção do trato urinário (ITU) foi baseado no exame bacteriológico, sendo considerado positivo quando a amostra de urina, colhida com auxílio de cateter, apresentava acima de 105 bactérias/ml. Dos animais examinados, quatro cães apresentaram infecção mista, totalizando 55 microorganismos isolados. Escherichia coli foi a mais freqüentemente isolada (35,3%), seguida de Staphylococcus sp (23,5%), Proteus mirabilis (15,7%), Streptococcus sp (13,7%), Klebsiella sp (9,8%), Pseudomonas aeruginosa (3,9%), Enterobacter cloacae (2.0%), Citrobacter freundii (2.0%) e Providencia rettgeri (2,0%). Quanto à sensibilidade dos germes isolados frente a diversos agentes antimicrobianos, a norfloxacina e a gentamicina mostraram-se eficazes no tratamento de microorganismos Gram-negativos, enquanto a cefalotina e a nitrofurantoina foram mais eficazes contra bactérias Gram-positivas. Os animais que apresentaram maior frequência de ITU pertenciam às raças Cocker Spaniel e Pastor Alemão, envolvendo mais machos do que fêmeas com predominância de pielonefrites. Embora as infecções urinárias tivessem sido observadas em todas as idades, houve um predomínio nos cães de média idade. Observou-se ainda que a urolitíase foi um fator pré-disponente ou adjacente de ITU, envolvendo germes como Staphylococcus sp. e Proteus mirabilis naqueles casos com pH urinário alcalino.

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
1995-03-01
Como Citar
Kogika, M., Fortunato, V. A., Mamizuka, E., Hagiwara, M., Pavan, M. de F., & Grosso, S. (1995). Estudo etiológico da infecção do trato urinário em cães. Brazilian Journal of Veterinary Research and Animal Science, 32(1), 31-36. https://doi.org/10.11606/issn.1678-4456.bjvras.1994.52087
Seção
PATOLOGIA ANIMAL