Desempenho de bezerros recebendo silagens de sorgo ou de cana-de-açúcar como únicos alimentos volumosos

  • Edison Valvasori Secretaria da Agricultura de São Paulo, Instituto de Zootecnia
  • Carlos de Sousa Lucci Universidade de São Paulo, Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia, Departamento de Nutrição e Produção Animal, Pirassununga, SP
  • Fernando Lima Pires Secretaria da Agricultura de São Paulo, Instituto de Zootecnia
  • Juliana Rodrigues Pozzi Arcaro Secretaria da Agricultura de São Paulo, Instituto de Zootecnia
  • Irineu Arcaro Jr. Secretaria da Agricultura de São Paulo, Instituto de Zootecnia
Palavras-chave: Cana-de-açúcar, Silagem de sorgo, Bezerros

Resumo

Silagens de sorgo granífero (tratamento SS) e de cana-de-açúcar (tratamento SC), suplementadas com farelo de algodão para ajustar o nível protéico das dietas a 16%, foram fornecidas a bezerros da raça Holandesa variedade malhada de preto, para avaliação de seus desempenhos em termos de consumo de alimentos, ganhos de peso e conversões alimentares. Os animais apresentaram média de peso de 97,7 ± 1,0 kg ao início do período de adaptação, de 14 dias, ao qual seguiu-se período experimental de 70 dias. Os resultados mostraram que o tratamento com silagem de sorgo granífero foi superior ao com cana-de-açúcar (p<0,01) em termos de ganhos diários de peso (0,601 kg contra 0,378 kg), conversão alimentar em quilogramas de matéria seca ingeridas por quilo de ganho de peso (7,760 kg contra 12,830 kg) e em quilogramas de proteína bruta ingeridas por quilo de ganho de peso (1,440 kg contra 2,210 kg). Os consumos diários de matéria seca (4,638 kg e 4,671 kg) e de proteína bruta (0,798 kg e 0,805 kg) para SS e SC, respectivamente, apresentaram semelhança estatística entre tratamentos (p>;0,05).

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
1998-01-01
Como Citar
Valvasori, E., Lucci, C., Pires, F., Arcaro, J., & Arcaro Jr., I. (1998). Desempenho de bezerros recebendo silagens de sorgo ou de cana-de-açúcar como únicos alimentos volumosos. Brazilian Journal of Veterinary Research and Animal Science, 35(5), 229-232. https://doi.org/10.1590/S1413-95961998000500009
Seção
ZOOTECNIA