Manifestações clínicas da cetose nervosa induzida por isopropanol em ovinos

  • Carolina Akiko Sato Cabral Araújo Universidade de São Paulo, Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia, Departamento de Clínica Médica Veterinária, São Paulo, SP
  • Frederico Augusto Mazzocca Lopes Rodrigues Universidade de São Paulo, Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia, Departamento de Clínica Médica Veterinária, São Paulo, SP
  • Antonio Humberto Hamad Minervino Universidade de São Paulo, Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia, Departamento de Medicina Veterinária Preventiva e Saúde Animal, São Paulo, SP
  • Braulio Frateschi Trivelatto Universidade de São Paulo, Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia, Departamento de Medicina Veterinária Preventiva e Saúde Animal, São Paulo, SP
  • Leonardo Frasson dos Reis Universidade de São Paulo, Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia, Departamento de Medicina Veterinária Preventiva e Saúde Animal, São Paulo, SP
  • Clara Satsuki Mori Universidade de São Paulo, Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia, Departamento de Clínica Médica Veterinária, São Paulo, SP
  • Enrico Lippi Ortolani Universidade de São Paulo, Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia, Departamento de Clínica Médica Veterinária, São Paulo, SP
Palavras-chave: Ovinos, Sintomas, Nervoso, Corpos cetônicos, Toxemia da Prenhez

Resumo

Doze ovelhas hígidas, não prenhes e não lactentes foram submetidas a um protocolo de indução experimental de cetose nervosa para a avaliação de sintomatologia nos quadros de cetose e Toxemia da Prenhez. Neste protocolo, oito animais foram submetidos a infusão de 150 mL de solução de isopropanol a 35% na veia jugular, constituindo o grupo Tratado (GT), e quatro ovinos foram tratados identicamente com solução salina isotônica (NaCl 0,9%), constituindo o grupo Controle (GC) no decorrer de 40 minutos. Os animais do GT apresentaram aumento da frequência cardíaca (FC) aos 40 minutos de infusão e redução no movimento ruminal a partir dos 10 minutos de infusão com isopropanol, o qual permaneceu diminuído ate 10 minutos do termino da infusão. A atonia ruminal ocorreu em três animais, que manifestaram em seguida leve meteorismo gasoso. A infusão de isopropanol provocou o surgimento de sintomas nervosos como, depressão e sonolência, cambaleios, adução de membros posteriores, pressão da cabeça em obstáculo, ranger de dentes e cegueira quase sempre acompanhada de diminuição do reflexo pupilar e nistagmo. Todos os animais exalaram forte odor cetótico com poucos minutos do inicio da indução, fato que ajudou a eliminação do isopropanol do organismo. Os presentes resultados sugerem que parte dos sintomas nervosos verificados na Toxemia da Prenhez possa ser oriunda da ação do isopropanol. Estes resultados abrem novas perspectivas para o melhor entendimento da patogenia da Toxemia da Prenhez em ovinos.

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
2013-12-09
Como Citar
Araújo, C., Rodrigues, F., Minervino, A. H., Trivelatto, B., Reis, L., Mori, C., & Ortolani, E. (2013). Manifestações clínicas da cetose nervosa induzida por isopropanol em ovinos. Brazilian Journal of Veterinary Research and Animal Science, 50(6), 493-496. https://doi.org/10.11606/issn.1678-4456.v50i6p493-496
Seção
NOTA DE PESQUISA