Aspectos epidemiológicos da dirofilariose canina no perímetro urbano de Cuiabá, Mato Grosso: emprego do "Immunoblot" e do teste de Knott modificado

  • Cláudia Gorgulho Nogueira Fernandes Universidade de Cuiabá, Faculdade de Medicina Veterinária
  • Rosângela Rodrigues-Silva Instituto Oswaldo Cruz, Laboratório de Helmintos Parasitos de Vertebrados, Rio de Janeiro, RJ
  • Saulo Teixeira de Moura Universidade de Cuiabá, Faculdade de Medicina Veterinária
  • Regina M. F. Oliveira Universidade do Estado do Rio de Janeiro, Faculdade de Ciências Médicas, Laboratório de Parasitologia, Rio de Janeiro, RJ
Palavras-chave: Dirofilariose animal, Cães, Epidemiologia, Immunoblotting

Resumo

O presente trabalho refere-se a pesquisa dos aspectos epidemiológicos da dirofilariose canina no perímetro urbano de Cuiabá, através de exame de sangue e sorologia. Examinou-se o sangue de 822 cães: em 11,81% das amostras, detectaram-se, por meio de "Immunoblot", anticorpos contra antígenos de Dirofilaria immitis adulto, enquanto em 0,41% foram encontradas, por meio do teste de Knott modificado, microfilárias de D. immitis. A prevalência da dirofilariose canina em Cuiabá, no período de junho a novembro de 1997, e com a metodologia aplicada, foi de 120,8 casos em cada 1.000 animais. O "Immunoblot" diagnosticou como positivas 11,27% das amostras que estavam consideradas negativas pelo teste de Knott modificado. Os autores analisaram estatisticamente informações sobre raça, sexo, idade e região administrativa de origem dos cães pesquisados. Foi questionada a possibilidade de que os animais pesquisados tivessem viajado a regiões endêmicas, usado microfilaricidas, ou apresentado sintomatologia compatível, bem como estudadas as características ecológicas do local de moradia. Cães com idade variando entre um e nove anos e residentes na região Centro-Oeste apresentaram maior índice de positividade. A maioria não apresentava sintomatologia compatível com a doença, não tinha história clínica do uso de microfilaricidas e/ou preventivos contra dirofilariose canina e nunca havia saído do perímetro urbano de Cuiabá, mas residiam em bairros próximos a rios ou córregos e/ou em casas contíguas a áreas de vegetação nativa. Pela primeira vez, o "Immunoblot" foi empregado no diagnóstico de dirofilariose canina no Brasil.

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
2000-12-01
Como Citar
Fernandes, C., Rodrigues-Silva, R., Moura, S., & Oliveira, R. (2000). Aspectos epidemiológicos da dirofilariose canina no perímetro urbano de Cuiabá, Mato Grosso: emprego do "Immunoblot" e do teste de Knott modificado. Brazilian Journal of Veterinary Research and Animal Science, 37(6), 467-474. https://doi.org/10.1590/S1413-95962000000600009
Seção
MEDICINA VETERINÁRIA