Única ou dupla inseminação artificial em tempo fixo em porcas com ovulações induzidas pelo Hormônio Luteinizante

  • Paulo Henrique Candini Universidade de São Paulo, Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia, Departamento de Reprodução Animal, São Paulo, SP
  • Aníbal de Sant'Anna Moretti Universidade de São Paulo, Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia, Departamento de Reprodução Animal, São Paulo, SP
  • Eraldo Luis Zanella Faculdade de Medicina Veterinária de Passo Fundo, Passo Fundo, RS
  • Paulo Roberto Souza da Silveira Embrapa, Centro Nacional de Pesquisa de Suínos e Aves, Concórdia, SC
  • Carlos Henrique Cabral Viana Universidade de São Paulo, Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia, Departamento de Reprodução Animal, São Paulo, SP
  • Isabel Santos Tecnopec, São Paulo, SP
Palavras-chave: Sincronização, Ovulação, Gonadotrofinas, Inseminação artificial, Suínos

Resumo

Duzentas e cinqüenta e quatro matrizes Camborough 22 (PIC®), foram divididas em 3 tratamentos: T 1 (n=60) - 600 UI de eCG após desmama e 5 mg de LH, 72 h após eCG , com única inseminação artificial (IA) (24 h após LH); T 2 (n=95) - mesmo tratamento hormonal do T1, com 2 IA (24 e 32 h após LH); T 3 (n=99) - grupo controle sem tratamento hormonal, com 3 IA. As médias de intervalo desmame-estro (IDE) em T1, T2 e T3 foram de 87,4 ± 3,0 (87 a 111), 87 ± 0 (87) e 99,9 ± 13,6 (63 a 135) horas, respectivamente, sendo reduzidas (P < 0,0001) pelas gonadotrofinas. A duração do estro (DE) foi de 44,3 ± 8,78 (12 a 60), 41,3 ± 9,77 (24 a 60) e 60,1 ± 10,22 (36 a 84) ;horas;, respectivamente para T1, T2 e T3, sendo menor (P < 0,0001) nas fêmeas tratadas. As diferenças no intervalo LH e ovulação (LH-OV) entre o grupo controle (56,1 ± 15,91, variação de 21 a 93 horas) e os grupos tratados (35,7 ± 6,07 em T1 e 35,5 ± 6,06 em T2, com variação de 30 a 42 horas) foram significativas (P < 0,0001). O tamanho de leitegada (TL) foi de 10,6 ± 3,25 (2 a 16) em T1, 11,3 ± 3,0 (4 a 20) em T2 e 11,6 ± 2,74 (4 a 18) leitões em T3, enquanto os mesmos demonstraram número de leitões nascidos vivos (NV) de 9,6 ± 3,14 (2 a 16), 10,5 ± 2,83 (1 a 18) e 10,5 ± 2,73 (4 a 16) leitões. Tanto em TL (P = 0,11) quanto em NV (P = 0,06) não houve diferença. A significante taxa de parição (TP) no T1, T2 e T3 foi, respectivamente, 76,67 %, 88,42 % e 91,92 %, diferindo entre T1 e T3 (P = 0,01). As gonadotrofinas foram efetivas na indução e sincronização das ovulações; o uso de 2 IAs manteve os índices reprodutivos e, embora a IA única não revele significância quanto ao menor valor de TL, há necessidade de serem realizados novos estudos nesta área.

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
2004-04-01
Como Citar
Candini, P., Moretti, A., Zanella, E., Silveira, P., Viana, C., & Santos, I. (2004). Única ou dupla inseminação artificial em tempo fixo em porcas com ovulações induzidas pelo Hormônio Luteinizante. Brazilian Journal of Veterinary Research and Animal Science, 41(2), 124-130. https://doi.org/10.1590/S1413-95962004000200008
Seção
NÃO DEFINIDA