Proteinograma sérico de bezerros recém-nascidos alimentados com colostro de vacas com mastite

  • Guilherme Gonçalves Fabretti Santos Universidade Estadual Paulista, Faculdade de Medicina Veterinária, Programa de Ciência Animal, Araçatuba, SP
  • Maurício Deschk Universidade Estadual Paulista, Faculdade de Medicina Veterinária, Programa de Ciência Animal, Araçatuba, SP
  • André Kielius Guedes Silva Universidade Estadual Paulista, Faculdade de Medicina Veterinária, Araçatuba, SP
  • Tatiane Silva Pólo Universidade Estadual Paulista, Faculdade de Medicina Veterinária, Programa de Ciência Animal, Araçatuba, SP
  • Márcia Marinho Universidade Estadual Paulista, Faculdade de Medicina Veterinária, Departamento de Apoio da Produção e Saúde Animal, Araçatuba, SP
  • Juliana Regina Peiró Universidade Estadual Paulista, Faculdade de Medicina Veterinária, Departamento de Clínica, Cirurgia e Reprodução Animal, Araçatuba, SP
  • Luiz Cláudio Nogueira Mendes Universidade Estadual Paulista, Faculdade de Medicina Veterinária, Departamento de Clínica, Cirurgia e Reprodução Animal, Araçatuba, SP
  • Francisco Leydson Formiga Feitosa Universidade Estadual Paulista, Faculdade de Medicina Veterinária, Departamento de Clínica, Cirurgia e Reprodução Animal, Araçatuba, SP
Palavras-chave: Transferência de imunidade passiva, Colostro, Mastite, Imunoglobulinas

Resumo

O objetivo do presente estudo foi o de avaliar o proteinograma sérico de bezerros alimentados com colostro oriundo de vacas sadias (n = 10), com mastite assintomática (n = 10 ) e mastite clínica (n =10 ). As vacas foram alocadas em seus respectivos grupos de acordo com o exame macroscópico da secreção colostral, contagem de células somáticas, CMT e isolamento microbiano. As amostras de sangue dos conceptos foram colhidas logo após o nascimento, 24 e 48 horas após a ingestão do colostro dos quartos infectados e dos sadios. Foi avaliada a concentração de proteína total pelo método do biureto e as concentrações de imunoglobulina A (IgA), imunoglobulina G (IgG), transferrina, albumina e haptoglobina por meio da eletrofoerese em gel de poliacrilamida contendo dodecil sulfato de sódio (SDS-PAGE). Não foram observadas diferenças entre os grupos nas concentrações de albumina, proteína total e IgA. Os bezerros alimentados com colostro de vacas com mastite assintomática e clínica apresentaram teores de haptoglobina superiores aos animais sadios. As concentrações de IgG e transferrina foram significativamente inferiores nos bezerros tratados com colostro de vacas com mastite clínica. Concluiu-se que a ingestão de colostro de quartos sadios e infectados de vacas que pariram com mastite (GII e GIII) não resulta em falha de transferência da imunidade passiva.

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
2013-06-21
Como Citar
Santos, G., Deschk, M., Silva, A., Pólo, T., Marinho, M., Peiró, J. R., Mendes, L. C., & Feitosa, F. (2013). Proteinograma sérico de bezerros recém-nascidos alimentados com colostro de vacas com mastite. Brazilian Journal of Veterinary Research and Animal Science, 50(3), 188-197. https://doi.org/10.11606/issn.1678-4456.v50i3p188-197
Seção
NÃO DEFINIDA