Torta de pinhão-manso (Jatropha curcas): implicações hepatotóxicas

  • Claucia Aparecida Honorato Centro Universitário da Grande Dourados, Faculdade de Ciências Biológicas e da Saúde
  • Cesar José da Silva Embrapa Agropecuária Oeste
  • Carolina Isabel Flores-Quintana Universidad Nacional del Nordeste, Facultad de Ciencias Veterinarias, Instituto de Ictiologia del Nordeste
  • Simone Mendonça Embrapa Agroenergia
  • Camila Aparecida Nascimento Centro Universitário da Grande Dourados, Faculdade de Ciências Biológicas e da Saúde
  • Vanessa Menegatti Marcondes Universidade Federal da Grande Dourados
  • Bruna Oliveira Parente Centro Universitário da Grande Dourados, Faculdade de Ciências Biológicas e da Saúde
  • Miguel Augusto Machado de Araújo Centro Universitário da Grande Dourados, Faculdade de Ciências Biológicas e da Saúde
Palavras-chave: Tóxico, À hepatotoxicidade, Alimentação animal

Resumo

O pinhão-manso tem se destacado como oleaginosa potencial para a produção de biocombustível. A torta, coproduto da extração do óleo, poderia ser utilizada na alimentação animal. No entanto, algumas variedades de pinhão-manso são tóxicas, limitando sua incorporação em dietas animais. Objetivou-se neste estudo avaliar a hepatotoxicidade de dietas acrescidas de torta de pinhão-manso (Jatropha curcas) em ratos. Foram utilizados trinta e cinco (35) ratos Wistar (Rattus norvergicus) machos adultos com peso inicial de 352,1 ± 26,8 g. Os animais foram alimentados por 21 dias com as dietas: controle, 10, 25, 40 e 50% TPM. Na alimentação com 50% TPM os animais apresentaram-se prostrados e com piloereção. O desenvolvimento e a sobrevivência apresentaram diminuição conforme o aumento da inclusão de TPM nas dietas. Em ratos submetidos a 10 e 25% TPM houve aumento de 17,52% no índice hepatossomático em relação ao grupo controle. O aumento de TPM na dieta de ratos promoveu aumento da atividade das enzimas ALT e AST. A avaliação anatomo-histopatológica revelou que, independentemente dos níveis testados, a TPM na alimentação de ratos provoca hipertrofia dos hepatócitos, com redução das reservas energéticas. Este estudo demonstrou que a utilização de TPM resultou em diminuição do consumo de alimento associado à perda de peso devido ao quadro clínico de toxicidade demonstrado pelas alterações bioquímica e histopatológica no fígado. Conclui-se que a inclusão de torta de pinhão-manso na alimentação de ratos apresenta alto potencial hepatotóxico levando a lesões no parênquima hepático.

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
2017-08-18
Como Citar
Honorato, C., Silva, C., Flores-Quintana, C., Mendonça, S., Nascimento, C., Marcondes, V., Parente, B., & Araújo, M. (2017). Torta de pinhão-manso (Jatropha curcas): implicações hepatotóxicas. Brazilian Journal of Veterinary Research and Animal Science, 54(2), 101-108. https://doi.org/10.11606/issn.1678-4456.bjvras.2017.79390
Seção
ARTIGO COMPLETO