Controle da eficácia de bacterinas antileptospirose: relação entre os resultados dos testes de inibição de crescimento de leptospiras in vitro com os do desafio in vivo em hamsters

  • Amane Paldês Gonçalves Universidade de Santo Amaro, São Paulo, SP
  • Gisele Oliveira de Souza Universidade de São Paulo, São Paulo, SP
  • Flávia Morato Universidade de São Paulo, São Paulo, SP
  • Zenaide Maria de Morais Universidade de São Paulo, São Paulo, SP
  • Sérgio Santos Azevedo Universidade Federal de Campina Grande, Campina Grande, PB
  • Silvio Arruda Vasconcellos Universidade de São Paulo, São Paulo, SP
Palavras-chave: Leptospirose animal, Hamsteres, Vacinas, Teste de potência, Teste de inibição de crescimento in vitro

Resumo

Foi efetuada a comparação em hamsters da proteção conferida e dos níveis de anticorpos induzidos por duas bacterinas comerciais antileptospirose. Os ensaios empregados foram o teste oficial de potência com desafio (TP), o ensaio proposto, teste de inibição de crescimento de leptospiras in vitro (ICLIV) e a soroaglutinação microscópica (SAM). O protocolo de imunização foi representado por duas aplicações individuais de 0,25 mL das bacterinas, puras ou de suas diluições geométricas de razão dois variando de 200 a 51.200 para a bacterina A e de 200 a 3.200 para a bacterina B, por via subcutânea com o intervalo de 15 dias. Decorridos 15 dias da segunda aplicação de vacina, um grupo de animais foi desafiado com 0,2 mL de cultivos de leptospiras, por indivíduo, respectivamente dos sorovares Canicola (bacterinas A e B) ou Kennewicki (bacterina A). Os números de doses infectantes empregados nos desafios foram de 100 e 631 respectivamente, para os sorovares Canicola e Kennewicki. Decorridos 21 dias do desafio, os grupos de animais utilizados nos testes de ICLIV e SAM foram sangrados e os seus soros foram reunidos em pools (n = 5). No TP, adotando-se os critérios internacionais, as bacterinas foram aprovadas. A comparação do desempenho das bacterinas para os sorovares adotados, segundo sua concentração, por meio das proporções de animais sobreviventes ao TP e a média dos títulos de anticorpos identificados no teste de ICLIV, indicou que um título igual ou superior a 0,77 log corresponde ao nível de aprovação da bacterina no TP.

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
2013-10-29
Como Citar
Gonçalves, A., Souza, G., Morato, F., Morais, Z. M. de, Azevedo, S., & Vasconcellos, S. (2013). Controle da eficácia de bacterinas antileptospirose: relação entre os resultados dos testes de inibição de crescimento de leptospiras in vitro com os do desafio in vivo em hamsters. Brazilian Journal of Veterinary Research and Animal Science, 50(5), 370-378. https://doi.org/10.11606/issn.2318-3659.v50i5p370-378
Seção
ARTIGOS