Comparação de diferentes métodos de incorporação de DNA exógeno pelo espermatozoide bovino

  • Renata Simões Universidade Federal do ABC
  • Weber Beringui Feitosa Universidade de São Paulo, Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnica
  • Marcella Pecora Milazzotto Universidade Federal do ABC, Centro de Ciências Naturais e Humanas (CCNH)
  • Alessandra Corallo Nicacio Universidade de São Paulo, Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnica
  • Flavia Regina Oliveira de Barros Universidade de São Paulo, Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnica
  • José Sergio de Arruda Gonçalves Universidade de São Paulo, Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnica
  • Mariana Groke Marques Universidade de São Paulo, Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnica
  • José Antônio Visintin Universidade de São Paulo, Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnica
  • Mayra Elena Ortiz D'Ávila Assumpção Universidade de São Paulo, Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnica
Palavras-chave: Espermatozoides, Bovino, Transgenia animal, Produção in vitro, Embriões

Resumo

Apesar da manipulação genética de animais domésticos ser de grande interesse para a produção animal e para a indústria farmacêutica, a sua eficiência ainda é insatisfatória. A injeção pronuclear, a técnica mais utilizada para tal proposito, principalmente em camundongos, ainda apresenta limitações para esta espécie. Algumas alternativas têm sido desenvolvidas como o uso de espermatozoides como vetores para transferência genica, na qual a célula espermática tem habilidade espontânea de se ligar a molécula de DNA e internaliza-la. Dado o potencial da transferência genica mediada por espermatozoide para animais domésticos transgênicos, o objetivo do presente trabalho foi a avaliação de quatro métodos de incorporação de DNA para a transferência genica mediada por espermatozoides na espécie bovina: incubação com DNA, alteração da membrana plasmática induzida por cálcio ionóforo seguida por incubação com o DNA exógeno, eletroporação e lipofecção. Espermatozoides não expostos ao DNA exógeno foram usados como grupo controle. Os índices de clivagem, blastocisto e eclosão foram avaliados, respectivamente, as 72 horas após a inseminação dos oócitos, bem como, aos 9 e 12 dias de cultivo embrionário. Os embriões positivos para o DNA exógeno foram avaliados por PCR. Nenhum efeito de tratamento foi observado nos índices de clivagem, blastocisto e eclosão. Além disso, a porcentagem de blastocistos positivos para o DNA exógeno não diferiu entre os grupos experimentais. Apesar do baixo número de embriões positivos para DNA exógeno, os resultados obtidos mostram que todos os tratamentos apresentaram eficiências similares. A conclusão obtida foi que, apesar de os índices de desenvolvimento embrionário terem sido similares e constante em todos os grupos experimentais, outros fatores como a sequência, o tamanho e a concentração do DNA exógeno devem ser avaliados para melhorar a transferência genica mediada por espermatozoides.

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
2015-04-13
Como Citar
Simões, R., Feitosa, W., Milazzotto, M., Nicacio, A., Barros, F. R., Gonçalves, J. S., Marques, M., Visintin, J., & Assumpção, M. E. (2015). Comparação de diferentes métodos de incorporação de DNA exógeno pelo espermatozoide bovino. Brazilian Journal of Veterinary Research and Animal Science, 52(1), 78-86. https://doi.org/10.11606/issn.1678-4456.v52i1p78-86
Seção
ARTIGOS