Morfoanatomia do Embrião, Desenvolvimento Pós-Seminal e Origem do Rizóforo de Smilax quinquenervia Vell. (Smilacaceae)

  • R.H.P. Andreata Departamento de Botânica USP
  • N.L. Menezes Departamento de Botânica USP
Palavras-chave: rhizophore, Smilax, embryonic axis

Resumo

Um estudo do desenvolvimento pós-seminal de Smilax quinquenerviaVell.. demonstrou o aparecimento de um eixo embrionário do qual se desenvolvem a plúmula e a raiz primária após o que, distingue-se o hipocótilo. A plúmula origina um eixo primário formado por 3 a 4 nos (cada um, com um catafilo), que precede o aparecimento do eofilo. Do hipocótilo saem as primeiras raízes adventícias. Do nó cotiledonar, a partir de uma gema protegida pela bainha cotiledonar, surge um eixo caulinar que permanece subterrâneo, o rizóforo, que passa a formar uma grande quantidade de raízes adventícias. Esse rizóforo é um sistema de ramificação simpodial. A grande quantidade de estômatos presentes na epiderme do rizóforo poderia representar uma evidência desse órgão subterrâneo ter derivado de um órgão ancestral aéreo.

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
1999-06-27
Como Citar
Andreata, R., & Menezes, N. (1999). Morfoanatomia do Embrião, Desenvolvimento Pós-Seminal e Origem do Rizóforo de Smilax quinquenervia Vell. (Smilacaceae). Boletim De Botânica, 18, 39-51. https://doi.org/10.11606/issn.2316-9052.v18i0p39-51
Seção
Artigos