(Leguminosae no Parque Estadual do Ibitipoca, Minas Gerais, Brasil

  • Fabiana Luiza Ranzato Filardi Instituto de Pesquisas Jardim Botânico do Rio de Janeiro
  • Robson Daumas Ribeiro jardim Botânico do Rio de Janeiro
  • Rafael Barbosa Pinto Universidade Estadual de Campinas, Departamento de Biologia Vegetal
  • Vidal de Freitas Mansano Instituto de Pesquisas Jardim Botânico do Rio de Janeiro
Palavras-chave: Floresta Atlântica, Campo Rupestre, Fabaceae, Taxonomia

Resumo

Leguminosae é a terceira maior família de angiospermas e apresenta grande diversidade no Brasil, onde constitue-se na família de plantas com mais alta diversidade de espécies, com 212 gêneros e aproximadamente 2.727 espécies (54% endêmicas) e com elementos florísticos importantes para todos os domínios fitogeográficos do país. A diversidade em Minas Gerais também é expressiva, com 125 gêneros que agrupam cerca de 40% do total de espécies estimadas para o Brasil. O Parque Estadual do Ibitipoca (PEIB) é considerado uma disjunção da Cadeia do Espinhaço dentro do Complexo da Mantiqueira e é formado por um mosaico de formações campestres e florestais. O presente trabalho traz o estudo taxonômico das Leguminosae ocorrentes no PEIB, onde foram registrados 22 gêneros e 42 táxons infragenéricos. Os gêneros mais ricos foram Senna (cinco táxons), Chamaecrista, Machaerium e Mimosa (quatro táxons cada); Dalbergia, Inga (três táxons cada), seguidos por Crotalaria, Galactia e Ormosia (dois táxons cada). Chave de identificação, descrições, ilustrações e comentários sobre a distribuição geográfica dos táxons são apresentados.

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
2014-12-01
Como Citar
Filardi, F., Ribeiro, R., Pinto, R., & Mansano, V. (2014). (Leguminosae no Parque Estadual do Ibitipoca, Minas Gerais, Brasil. Boletim De Botânica, 32(1), 9-42. https://doi.org/10.11606/issn.2316-9052.v32i1p9-42
Seção
Artigos