Como ordenar o que não pode ser ordenado?

criação de regras de uso do Espaço Sagrado da Curva do S (Parque Nacional da Tijuca/Rio de Janeiro)

  • Roberta Machado Boniolo Universidade Federal Fluminense
Palavras-chave: práticas rituais, políticas públicas, administração de conflito, Espaço Sagrado da Curva do S, Parque da Tijuca

Resumo

Trata-se de uma etnografia realizada com o grupo Elos da Diversidade (Secretaria do Estado do Ambiente/RJ), durante o período de novembro de 2012 a março de 2014, cujo objetivo era regulamentar uma área cogerida pelo Parque Nacional da Tijuca (Rio de Janeiro), conhecida como Curva do S. Neste local foi planejado a criação do Espaço Sagrado da Curva do S a fim de diminuir os conflitos entre religiosos e funcionários do parque motivados pelas práticas rituais às deidades afro-brasileiras. Busco apresentar reflexões sobre as especificidades na criação de uma política pública para grupos religiosos de matriz afro brasileira a partir da dinâmica por meio da qual a escrita, linguagem característica das instituições estatais, e a oralidade, modo por excelência como o conhecimento é transmitido entre os religiosos de matriz afro brasileira, ora se articulavam, ora se opunham na criação das regras de uso do Espaço Sagrado da Curva do S.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Roberta Machado Boniolo, Universidade Federal Fluminense
Doutoranda em Antropologia - Programa de Pós-Graduação em Antropologia (PPGA/UFF) e Pesquisadora do Instituto de Estudos Comparados em Administração Institucional de Conflitos (INCT-InEAC)
Publicado
2018-12-26
Seção
Artigos e Ensaios