Os desaparecidos, os fantasmas e o corpo como arquivo: o conflito sírio na dança-teatro contemporânea

  • Sílvia Alexandra Raposo CRIA (Centro em Rede de Investigação em Antropologia)
Palavras-chave: performance, memória, guerra civil síria.

Resumo

O presente artigo propõe uma análise da dança teatral partindo do binómio performance/política no qual se perspectiva o corpo como lugar privilegiado para a análise do poder, uma vez que um corpo ao dançar posiciona-se sempre politicamente. Para tal, procura-se contextualizar a dança-teatro dos espectáculo Antes que matem os elefantes, da Companhia Olga Roriz, e Eu Sou Mediterrâneo, da Companhia Vidas de A a Z, no seu percurso artístico e analisar as suas linguagens coreográficas e cénicas tendo em vista uma compreensão do corpo que dança como um corpo que sofre as acções das relações de poder, analisando-o como um lugar de tensão e embates que desenvolve articulações com a memória e esquecimento num jogo sensório-corporal, falando-se do corpo como arquivo e como lugar de memória e resistência e perspectivando-o como um lugar privilegiado para a análise do poder.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Sílvia Alexandra Raposo, CRIA (Centro em Rede de Investigação em Antropologia)
Mestre em Antropologia pela FCSH/UNL e colaboradora de investigação no CRIA. Inicia a sua actividade enquanto investigadora no Laboratório Arquivo Jill Dias (AJD/CRIA/FCSH-NOVA). Desenvolve pesquisa sobre os domínios da performance, movimentos artísticos contemporâneos, resistência política, Islão e terrorismo, etc. Encontra-se a concluir a sua dissertação de mestrado sobre artivismo, performance e terrorismo cultural. É produtora teatral e dramaturga, tendo desenvolvido o projecto intitulado «Eu Sou Mediterrâneo» (2016), pela Escola Superior de Teatro e Cinema, em parceria com a ADDHU, a Associação Solidariedade Imigrante e a Associação Amizade Portugal-Sahara Ocidental, de forma a fomentar o debate político e académico em torno da actual crise migratória no mediterrâneo.
Publicado
2018-12-26
Seção
Artigos e Ensaios