Crônica sobre vida e morte

o que/como eu aprendi (d)aquilo que minhas amigas Tukano me mostraram do seu mundo

Autores

  • Melissa Santana de Oliveira Universidade Federal de São Carlos

DOI:

https://doi.org/10.11606/issn.2316-9133.v29i1p225-246

Palavras-chave:

vida, morte, conhecimento, Tukano orientais, mulheres indígenas

Resumo

Nesta crônica revisito fragmentos de experiências vivenciadas ao longo de quinze anos de trabalho, pesquisa e amizade entre/com mulheres Tukano, Desana, Yeba, Tuyuka, Siriana, Bará e Tariano moradoras dos trechos médio e alto do rio Tiquié, um afluente do rio Uaupés, localizado na Terra Indígena Alto rio Negro, Noroeste Amazônico, buscando apresentar de forma livre, não linear e quiçá indireta, parte do que aprendi e como aprendi os conhecimentos que estas mulheres me mostraram sobre a vida e a morte.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Melissa Santana de Oliveira, Universidade Federal de São Carlos

Pesquisadora de Pós-doutorado no Programa de Pós Graduação em Antropologia Social da Universidade Federal de São Carlos. Visiting Fellow no Department of Anthropology, London School of Economics and Political Science

Referências

ANDRELLO, Geraldo. (2006). Cidade do Índio. São Paulo: Editora. UNESP: ISA; Rio de Janeiro: NUTI.
BELAUNDE, Luisa Elvira. (2001). Viviendo Bien: género y fertilidad entre los Airo-Pai de la Amazonia Peruana. 1° ed. Lima: CAAAP,
CABALZAR, Aloizio. (2008). Filhos da Cobra de Pedra: Organização social e trajetórias tuyuka no rio Tiquié (noroeste amazônico). São Paulo/Rio de Janeiro: Editora Unesp/ISA.
CABALZAR, Flora Freire Dias. (2010). Até Manaus, até Bogotá: os Tuyuka vestem seus nomes como ornamentos. Doutorado em Antropologia Social. São Paulo: PPGAS/USP, 2010.
CHERNELLA, Janet. (2003). “Language, ideology and women's speech: talking community in the Northwest Amazon”. American Anthropologist, vol.4, p.794-806.
HUGH-JONES, Christine. (1979). From the Milk River: spatial and temporal processes in the Northwest Amazonia. Cambridge: Cambridge University Press.
HUGH-JONES, Stephen. (1995). “Inside-out and back-to-front: the androgynous housein Northwest Amazonia”. In: CARSTEN, Janet; HUGH-JONES, Stephen. About the house: Lévi-Strauss and beyond. Cambridge: Cambridge University Press.
Hugh-Jones, Stephen. (2009). The fabricated body: objects and ancestors in NW Amazonia. In: SANTOS GRANERO, F. (ed.). The Occult Life of Things. Tucson: University of Arizona Press.
MAHECHA, Dany. (2004). La formación de Masa Goro “personas verdaderas”. Pautas de crianza entre los Macuna del Bajo Apaporis. Leticia: Universidad Nacional de Colombia.
OLIVEIRA, Melissa. (2016). Sobre casas, pessoas e conhecimentos: uma etnografia entre os Tukano Hausirõ e Ñahuri porã, do médio rio Tiquié, Alto rio Negro. Tese de Doutorado em Antropologia Social. São Paulo: PPGAS-UFSC.
PEREIRA, Rosilene Fonseca. (2013). Criando gente no Alto Rio Negro: um olhar Waíkhana. Dissertação de mestrado em Antropologia. Manaus: Programa de Pós-Graduação em Antropologia Social/UFAM.
PIEDADE, Acácio Tadeu de C. (1997). Música Yepâ Masa: por uma antropologia da música no Alto Rio Negro. Dissertação de Mestrado em Antropologia Social. Florianópolis: Universidade Federal de Santa Catarina

Downloads

Publicado

2020-07-08

Como Citar

Oliveira, M. S. de. (2020). Crônica sobre vida e morte: o que/como eu aprendi (d)aquilo que minhas amigas Tukano me mostraram do seu mundo. Cadernos De Campo (São Paulo - 1991), 29(1), 225-246. https://doi.org/10.11606/issn.2316-9133.v29i1p225-246

Edição

Seção

Especial