A pandemia do coronavírus e a Amazônia Equatoriana

vulnerabilidades e esquecimento do Estado

  • Ivette Rossana Vallejo Facultad Latinoamericana de Ciencias Sociales
  • Katy Alvarez Instituto de Posgrado de la Facultad de Jurisprudencia. Universidad Central del Ecuador
Palavras-chave: coronavirus, pandemia, povos indigenas, Amazonia

Resumo

A pandemia de coronavírus, gerada a partir da chamada SARS-CoV-2, desencadeou uma crise mundial de saúde, com a América Latina atualmente sendo o epicentro dos danos. Embora em vários países da região, as cidades mais populosas sejam as que apresentam os maiores casos de infecção e morte, as situações enfrentadas pela bacia amazônica, principalmente no Brasil, Peru, Colômbia e Equador, são muito preocupantes. Neste artigo, focalizaremos a Amazônia equatoriana, com o enquadramento das figuras da pandemia, os casos de contágio em povos e nacionalidades indígenas, as vulnerabilidades e a negligência do Estado em garantir o acesso à saúde, prevenção e gestão da pandemia, com atenção às especificidades dos contextos geográficos e culturais. Por fim, apresentamos as ações realizadas pelas organizações indígenas para coibir o coronavírus

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Katy Alvarez, Instituto de Posgrado de la Facultad de Jurisprudencia. Universidad Central del Ecuador

Doutor em História dos Andes (Faculdade Latino-Americana de Ciências Sociais, FLACSO Equador; Mestre em Ciências Sociais com menção em Antropologia, FLACSO Equador, Bacharel em Sociologia, Universidade Central do Equador). Atualmente é professor do Instituto de Pós-Graduação da Faculdade de Jurisprudência da Universidade Central do Equador. 

 

Referências

BARTLEY, Tim; BERGESEN, Albert. (1997). “World-system studies of environment”.Journal of World-Systems Research, Vol.3, n.3, p.1-9.

BECK, Ulrich. (2000). Retorno a la teoría de la sociedad del riesgo.Boletín de la AGE. N.30, (s/s), p.9-20

CABODEVILLA, Miguel Angel. (2013). Los huaorani en la historia de los pueblos del oriente. Quito: CICAME

CARDONA, Antonio José Paz. (2020). “Al menos catorce indígenas siekopaiestán contagiados con COVID-19 en Ecuador”. Mongaby Latam (in-linea). Año 2020, mayo-7. https://es.mongabay.com/2020/05/covid-19-en-indigenas-de-ecuador-siekopai-en-peligro/

HARVEY, David. (2000). “Política anticapitalista en tiempos de coronavirus”. En: ZIZEK, Zibechi et al. Sopa de Wuhan. Pensamiento contemporáneo en tiempo de pandemias.Editorial: ASPO (Aislamiento Social Preventivo y Obligatorio).

JONES, Kate, et al. (2008). “Globaltrendsinemerginginfectiousdiseases”. Nature, Vol.451, p.990-993.

RIVAL, Laura. (1993). The growth of family trees: understanding waorani perceptions of the forest. New Series, Vol. 28, No. 4, p. 635-652.

SCHMINCK, Marianne; CHARLES, Wood.(1987). “The Political Ecology of Amazonía”. In: LITTLE, Peter & HOROWITZ, Michael.(Eds). Lands at Risk.Westview Press: Boulder, p.38-57

SIBILA, Paola. (2009). El hombre posorgánico. Buenos Aires: Fondo de Cultura Económica.

WALLERSTEIN, Immanuel.(2004). World system análisis. An Introduction. Durham: Duke University press.

WOLF, Eric. (1982). Europe and the people without history. Berkeley: University of California press

Publicado
2020-06-10
Como Citar
Vallejo, I., & Alvarez, K. (2020). A pandemia do coronavírus e a Amazônia Equatoriana. Cadernos De Campo (São Paulo 1991), 29(1), 94-110. https://doi.org/10.11606/issn.2316-9133.v29i1p94-110
Seção
Artigos e Ensaios