Anita Anota. El antropólogo en al aldea (penal y burocrática)

Autores

  • Deborah Daich Universidade de Buenos Aires
  • Mariana Sirimarco Universidade de Buenos Aires

DOI:

https://doi.org/10.11606/issn.2316-9133.v18i18p13-28

Palavras-chave:

Trabalho de campo. Registros de campo. Anotar. Âmbito judiciário. Âmbito policial

Resumo

Frequentemente, as anotações de cam-
po são produto tanto daquilo que o antropólogo
considera importante anotar quanto daquilo que o
outro acha importante ser anotado pelo antropólo-
go. Este trabalho visa refletir acerca desse processo
específico do trabalho de campo. Não necessaria-
mente para investigar as questões epistemológicas
relativas à construção de tais anotações, mas para
ensaiar algumas considerações sobre a relação que a
própria ação de anotar configura entre o observador
e o observado. Este trabalho propõe uma trajetória
pelos âmbitos de pesquisa das autoras – o judiciário
e o policial – e pelas questões levantadas por essa
atividade em tais âmbitos. Trata-se de pôr em diálo-
go os nossos trabalhos de campo e de experimentar,
a partir do contraste entre distintas experiências, o
esboço de uma leitura a respeito do tom que, nes-
ses domínios, adquire o próprio ato de registrar no
papel.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Deborah Daich, Universidade de Buenos Aires

Licenciada em Ciências Antropológicas da Universidade de Buenos Aires

Mariana Sirimarco, Universidade de Buenos Aires

Licenciada em Ciências Antropológicas da Universidade de Buenos Aires

Downloads

Publicado

2009-03-30

Como Citar

Daich, D., & Sirimarco, M. (2009). Anita Anota. El antropólogo en al aldea (penal y burocrática). Cadernos De Campo (São Paulo - 1991), 18(18), 13-28. https://doi.org/10.11606/issn.2316-9133.v18i18p13-28

Edição

Seção

Artigos e Ensaios