A "sagesse" de Montaigne de duas perspectivas

do "otium" ao "negotium"

  • Sergio Xavier Gomes De Araujo Universidade Federal de São Paulo

Resumo

O artigo examina a maneira particular como Montaigne se posiciona em defesa do otium no âmbito do debate clássico vivificado pelos humanistas da Renascença sobre otium e negotium, ou entre vida contemplativa e vida ativa, através da leitura de dois capítulos, que, embora distanciados no tempo, mantêm relações vivas e instigantes entre si: De la Solitude, do primeiro livro dos Essais e De ménager sa volonté, do terceiro. Na articulação entre os dois textos pretende-se mostrar como o ethos próprio à vida retirada que Montaigne constitui para si via apropriação das lições de Sêneca termina por superar a dicotomia tradicional servindo à afirmação de uma outra noção de prudentia e de “bem agir” na vida pública que tem seu nexo fundamental não na ambição de glória mas na posse de si ou na adequação interior à própria natureza. 

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
2019-06-25
Como Citar
Araujo, S. (2019). A "sagesse" de Montaigne de duas perspectivas. Cadernos De Ética E Filosofia Política, 1(34), 88-100. Recuperado de http://www.revistas.usp.br/cefp/article/view/154876
Seção
Artigos