Há ainda alguma relevância à arqueologia?

considerações entre história dos discursos de verdade e de poder

  • Marcos Nalli Universidade Estadual de Londrina
Palavras-chave: Arqueologia, História, Formação discursiva, Prática discursiva, Genealogia

Resumo

Procuro ensaiar uma interpretação do papel da caracterização da história feita pela arqueologia foucaultiana, nos termos de uma história das práticas discursivas regradas por suas formações discursivas. Minha hipótese é que, em L’archéologie du savoir, Foucault introduz um conceito – “prática discursiva” – cujo uso pragmático durante o livro permite a um só tempo sua análise arqueológica em termos históricos quanto sua leitura em termos críticos, de tal modo que forma um todo único às investigações foucaultianas.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

BRAUNSTEIN, Jean-François. “Bachelard, Canguilhem, Foucault. Le ‘style français’ em épistémologie”. In: WAGNER, Pierre (org.). Les philosophes et la science. Paris : Gallimard, 2002. p. 920-963.

CASTRO, Edgardo. El vocabulário de Michel Foucault. Bernal: Universidad de Quilmes, 2004.

DAVIDSON, Arnold. “Foucault et l`analyse des concepts”. In: FRANCE, Dominique (et alli), Au risque de Foucault. Paris: Éditions du Centre Pompidou, 1987.p. 53-66.

FOUCAULT, Michel. “O que é crítica? (Crítica e Aufklärung)”. Cadernos da F.F.C. [Faculdade de Filosofia e Ciências – UNESP]. Marília, UNESP, v. 9, n. 1, 2000, p. 169-189.

FOUCAULT, Michel. Dits et écrits. tomes I-IV, Paris: Gallimard, 1994.

FOUCAULT, Michel. Histoire de la folie. Paris: Gallimard, 1972.

FOUCAULT, Michel. L’archéologie du savoir. Paris: Gallimard, 1969.

FOUCAULT, Michel. Les mots et les choses. Paris: Gallimard, 1966.

FOUCAULT, Michel. Naissance de la clinique. Paris: PUF, 1963.

LAKATOS, Imre. “La historia de la ciencia y sus reconstrucciones racionales”. In: Escritos filosóficos, 1. Madrid: Alianza Editorial, 2007. P. 134-179.

MACHADO, Roberto. Ciência e saber: A trajetória da arqueologia de Michel Foucault. Rio de Janeiro: Graal, 1981.

NALLI, Marcos. De que vida trata a Biopolítica? Considerações sobre a inversão foucaultiana da máxima aristotélica. Aurora, v. 31, p. 94-117, 2019.

NALLI, Marcos. “Sobre o conceito foucaultiano de discurso”. In: Luiz B. L. Orlandi. (Org.). A Diferença. Campinas: EdUNICAMP, 2005, p. 151-169.

Publicado
2019-12-31
Como Citar
Nalli, M. (2019). Há ainda alguma relevância à arqueologia?. Cadernos De Ética E Filosofia Política, 2(35), 216-231. https://doi.org/10.11606/issn.1517-0128.v2i35p216-231
Seção
Foucault, Políticas da arqueologia – 50 anos de A arqueologia do Saber (1969)