Miserável ou irracional

os marxistas brasileiros recepcionam Foucault

  • Felipe Luiz Universidade Estadual Paulista
Palavras-chave: Carlos Nelson Coutinho, Gyorgy Lukács, Michel Foucault, Estruturalismo, Arqueologia do saber

Resumo

O presente artigo analisa a recepção da obra arqueológica de Foucault a partir dos trabalhos de um dos mais importantes marxistas brasileiros, Carlos Nelson Coutinho, que redigiu um livro de críticas ao estruturalismo na década de 70. Neste texto, Carlos Nelson se situa em um horizonte lukácsiano, razão pela qual analisamos também uma das fontes de Coutinho em sua crítica, as posições de Lukács relativamente ao que ele chama de irracionalismo, o qual, por incluir Nietzsche, toca também a Foucault, que é como se sabe próximo daquele. Após a exposição analítica das teses de Lukács e Coutinho, empreendemos um balanço crítico destas, julgando sua pertinência.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

COUTINHO, C. N. O estruturalismo e a miséria da razão. 2ª edição. SP: Expressão Popular, 2010.

DOSSE, F. História do estruturalismo II: o canto do cisne, de 67 a nossos dias. Tradução de Álvaro Cabral. Campinas: EDUNICAMP/Ensaio, 1994.

FOUCAULT, M. Archéologie du savoir. Paris: Gallimard, 1969.

FOUCAULT, M. Dits et écrits I (1954-1975). Paris: Quarto-Gallimard, 2001.

FOUCAULT, M. O poder psiquiátrico (1973-1974). São Paulo: Martins Fontes, 2003.

FOUCAULT, M. A ordem do discurso. 12ª edição. São Paulo: Loyola, 2005.

FOUCAULT, M. Microfísica do poder. 24ª edição. São Paulo: Graal, 2007.

FOUCAULT, M. Du gouvernement des vivants. Paris: EHESS/Gallimard/Seuil, 2012.

LUKÁCS, G. El asalto a la razón. México: Fondo de Cultura Económica, 1959.

MACHADO, R. Por uma genealogia do poder. In: FOUCAULT, M. Microfísica do poder. 24ª edição. São Paulo: Graal, 2007.

NETTO, J. P. “Homenagem de vida”, Revista Em Pauta da Faculdade de Serviço Social da UERJ, nº 29 (2012), pp. 181-184.

Publicado
2019-12-30
Como Citar
Luiz, F. (2019). Miserável ou irracional. Cadernos De Ética E Filosofia Política, 2(35), 70-82. https://doi.org/10.11606/issn.1517-0128.v2i35p70-82
Seção
Foucault, Políticas da arqueologia – 50 anos de A arqueologia do Saber (1969)