Corrigir a existência: a ética como estética em Albert Camus

  • Gabriel Ferreira da Silva
Palavras-chave: Camus – Ética – Estética – Existência

Resumo

O percurso construído pelo pensamento de Albert Camus (1913-1960) perfaz uma unidade profunda entre Ética e Estética. Partindo de uma preocupação explicitamente ética, o autor acaba por ter de desenvolver uma antropologia filosófica, ou seja, um discurso sobre o homem que tem como núcleo um conceito que o reenvia àquilo que podemos chamar de dimensão estética para então, a partir daí, oferecer uma resposta àquele problema ético. Desse modo, pretendemos neste trabalho explicitar o caminho ao qual aludimos em três momentos: (a) a existência humana como problema ético; (b) o discurso camusiano sobre o homem que tem como núcleo a noção de Passion e, por fim, (c) a elaboração de um novo éthos, partindo da noção de Paixão, como resposta necessária ao problema existencial configurada como uma re-criação ou correção permanente, à semelhança do ofício do Artista.

Downloads

Não há dados estatísticos.
Como Citar
Silva, G. F. da. (1). Corrigir a existência: a ética como estética em Albert Camus. Cadernos De Ética E Filosofia Política, (14), 207-224. Recuperado de http://www.revistas.usp.br/cefp/article/view/83327
Seção
Artigos