Movimentos públicos e memórias privadas silêncios e discursos da guerra civil espanhola

Autores

  • Maria Dulce Antunes Simões Universidade Nova de Lisboa; Faculdade de Ciências Sociais e Humanas

DOI:

https://doi.org/10.1590/S1413-45192009000100006

Palavras-chave:

Memória, Guerra Civil de Espanha (1936-1939), Movimentos sociais, Franquismo, Repressão, Resistência

Resumo

Este artigo reflecte sobre o processo de "recuperação da memória histórica" da II Republica e da guerra civil de Espanha, na construção de uma memória contra hegemónica da ditadura, e sobre a preservação do "discurso apolítico" por parte de indivíduos represaliados da guerra e do regime franquista. No sentido de compreendermos as problemáticas entre os movimentos públicos das associações e as memórias privadas dos indivíduos, estabelecemos uma perspectiva diacrónica entre passado e presente, elegendo como estudo de caso os acontecimentos ocorridos na localidade estremenha de Oliva de la Frontera e as suas representações sociais no presente etnográfico.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Maria Dulce Antunes Simões, Universidade Nova de Lisboa; Faculdade de Ciências Sociais e Humanas

Doutoranda de Antropologia da Faculdade de Ciências Sociais e Humanas, Universidade Nova de Lisboa. Bolseira da Fundação para a Ciência e Tecnologia. Investigadora FCSH/CRIA (Centro em Rede de Investigação em Antropologia), do Grupo de Estudios Sociales Aplicados da Universidad de Extremadura, e membro do grupo de investigação do projecto: “El Discurso Geopolítico de las Fronteras en la Construcción socio política de las Identidades Nacionales: El caso de la frontera hispano-portuguesa en los siglos XIX y XX”, Universidad Complutense de Madrid.

Downloads

Publicado

2009-06-01

Como Citar

Simões, M. D. A. (2009). Movimentos públicos e memórias privadas silêncios e discursos da guerra civil espanhola. Cadernos CERU, 20(1), 85-111. https://doi.org/10.1590/S1413-45192009000100006

Edição

Seção

Dossiê Amazônia