Trabalho e sociabilidade urbana: motoristas e condutores de bondes em Manaus, 1899-1927

  • Dhyene Vieira dos Santos UFAM

Resumo

O presente trabalho procura investigar e analisar as múltiplas dimensões do universo dos motoristas e condutores de bondes na cidade de Manaus, no período compreendido entre os anos de 1899 a 1927. Inquirimos sobre suas condições de vida, de trabalho e de organização, buscando assim descobrir em que medida os processos de dominação e resistência desenvolvidos no cenário da cidade propiciaram a esses trabalhadores apresentar soluções originais aos problemas que lhes eram postos ao longo do tempo. A necessidade de conhecer esse universo urbano se dá, em especial, porque, atuando como sujeitos históricos concretos, esses trabalhadores, construtores anônimos do tão propalado progresso material da cidade durante o “período da borracha”, não lograram a devida atenção da historiografia regional. E, assim sendo, não se registraram apropriadamente os seus anseios não contemplados, sua vontade política foi desconsiderada, seus protestos, greves e reivindicações foram sistematicamente ignorados. Entretanto, sua presença na cidade esteve longe de ter sido insignificante ou passiva. Nesse sentido, concentramo-nos nas mobilizações paredistas e na sociabilidade desses sujeitos, evidenciando alguns aspectos de suas atividades políticas e das relações sociais de produção a que se viram submetidos.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Dhyene Vieira dos Santos, UFAM

Mestranda em História Social pela Universidade Federal do Amazonas (UFAM), cumprindo período de Mobilidade Acadêmica na Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (PUC-SP), no âmbito do PROCAD/CAPES – Trabalho, Cultura e Cidade.

Publicado
2018-12-31
Como Citar
Santos, D. (2018). Trabalho e sociabilidade urbana: motoristas e condutores de bondes em Manaus, 1899-1927. Cadernos CERU, 29(2). Recuperado de http://www.revistas.usp.br/ceru/article/view/155315
Seção
Dossiê Amazônia