Mobilidade humana e educação: os estudantes estrangeiros na Unicamp

Autores

  • Débora Mazza Universidade Estadual de Campinas

DOI:

https://doi.org/10.1590/S1413-45192011000100014

Palavras-chave:

Migração, Educação, Estudantes estrangeiros

Resumo

O trabalho atenta para a mobilidade humana como uma prática social que tem aumentado no mundo, apesar das tentativas de restrição e controle. Vários autores têm sublinhado a necessidade de se atentar às múltiplas determinações do real presente nos fluxos migratórios que conduzem regiões, grupos e indivíduos a buscarem melhores condições de vida, de trabalho e de educação. Segundo uma perspectiva qualitativa e contando com o suporte do sofware livre LimeSurvey, a pesquisa realizou um survey com os estudantes estrangeiros inscritos na Unicamp no primeiro semestre de 2010. Objetivou apresentar: quem são esses estudantes, como eles alcançaram o estatuto de universitários no Brasil, como vivem essa experiência e quais são seus projetos de futuro. Os dados sugerem que a luta pela escola de qualidade revela um sonho que, muitas vezes, expõe esses estudantes a situações de discriminação e desigualdade.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Débora Mazza, Universidade Estadual de Campinas

Profa. Dra. Do Departamento de Ciências Sociais/FE/UNICAMP e CEDES

Downloads

Publicado

2011-06-01

Como Citar

Mazza, D. (2011). Mobilidade humana e educação: os estudantes estrangeiros na Unicamp. Cadernos CERU, 22(1), 239-256. https://doi.org/10.1590/S1413-45192011000100014

Edição

Seção

Dossiê Amazônia