Agricultura familiar e políticas públicas

  • Nilce Panzutti Instituto de Economia Agrícola
  • Ana Victoria Monteiro Instituto de Economia Agrícola
Palavras-chave: Agricultura Familiar, Políticas Públicas, PRONAF, PNAE, PAA

Resumo

O presente artigo tem como objetivo primeiro apresentar políticas públicas direcionadas e aplicadas ao segmento da denominada agricultura familiar, que nas últimas décadas vem se consolidando com o apoio de políticas específicas, como as que se referem às compras institucionais, e contando com diversos instrumentos para o seu desenvolvimento, no sentido de gerar empregos, distribuir renda e contribuir para o desenvolvimento local. Em segundo lugar, esboça a integração existente entre os programas e a rede formada pelas instituições que participam da implementação dessas políticas. Para a realização deste trabalho procedeu-se a: a) levantamento de publicações e de documentos digitais, seleção e leitura de material sobre a agricultura familiar e das políticas públicas para o meio rural; b) consulta a sites oficiais, como o do Ministério do Desenvolvimento Agrário (MDA), Ministério do Desenvolvimento Social e combate à Fome, entre outros, e c) sistematização e análise baseadas em reflexões sobre dados obtidos. A importância estratégica da agricultura familiar, além de seu fundamental papel social na mitigação do êxodo rural e na desigualdade social do campo e das cidades, deve ser encarada pela sua capacidade de geração de riqueza, não apenas para o setor agropecuário, mas para a própria economia do país

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Nilce Panzutti, Instituto de Economia Agrícola
Doutora em Ciências Sociais pela UNICAMP, Pesquisadora Científica do Instituto de Economia Agrícola-IEA
Ana Victoria Monteiro, Instituto de Economia Agrícola
Mestre em Geografia pela UNESP, Pesquisadora Científica do Instituto de Economia Agrícola -IEA
Publicado
2015-06-04
Como Citar
Panzutti, N., & Monteiro, A. (2015). Agricultura familiar e políticas públicas. Cadernos CERU, 25(2), 131-145. Recuperado de http://www.revistas.usp.br/ceru/article/view/98767
Seção
Dossiê Amazônia