Grau de acabamento e unidades equivalentes de produção: uma abordagem conceitual e empírica

  • Reinaldo Guerreiro USP; FEA; Departamento de Contabilidade e Atuária FIPECAFI
  • Edgard Bruno Cornachione Jr USP; FEA; Departamento de Contabilidade e Atuária FIPECAFI
  • Armando Catelli USP; FEA; Departamento de Contabilidade e Atuária FIPECAFI
Palavras-chave: Unidades equivalentes de produção, grau de acabamento, produção contínua, produção por processos, acumulação de custos, valorização de estoques

Resumo

Este artigo tem como objeto de estudo o problema da determinação do grau de acabamento utilizado no processo de cálculo das unidades equivalentes de produção no sistema de custeio por processo contínuo. Foi estabelecida a hipótese que a teoria da contabilidade de custos não oferece uma solução objetiva para o cálculo do grau de acabamento e, dessa forma, as empresas não adotam os conceitos teóricos fundamentais definidos pela teoria, no que diz respeito à valorização do estoque de produtos em processo e valorização dos produtos acabados em indústriais de produção contínua A revisão da literatura, considerando-se um grupo de obras de autores clássicos da contabilidade de custos, constatou que não existe indicação objetiva da forma de cálculo do grau de acabamento. Este trabalho apresenta um método para cálculo do grau de acabamento e um estudo exploratório desenvolvido com a finalidade de se obter um conhecimento pragmático sobre a realidade das empresas quanto ao tema em questão. As pesquisas bibliográfica e empírica indicam a validade da hipótese estabelecida.

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
2000-12-01
Como Citar
Guerreiro, R., Cornachione Jr, E., & Catelli, A. (2000). Grau de acabamento e unidades equivalentes de produção: uma abordagem conceitual e empírica . Caderno De Estudos, (24), 06-27. https://doi.org/10.1590/S1413-92512000000200001
Seção
Artigos