Traduzir o hebraico da periferia - missão possível?

  • Nancy Rozenchan Universidade de São Paulo
Palavras-chave: Tradução do Hebraico, Linguagens de Periferia, Linguagem de Religiosos, Linguagem de Marroquinos.

Resumo

O presente texto atem-se a dificuldades enfrentadas por tradutores do hebraico ante textos cuja linguagem é aqui qualificada como linguagem de periferia. São considerados periferias, para esse fim, grupos cuja língua falada não é aquela considerada central no hebraico contemporâneo. Estão incluídos alguns modelos de linguagem de periferia, quais sejam a forma de expressão utilizada por religiosos e a de falantes com uso pobre da norma culta – usuários com escolaridade insuficiente, nativos e imigrantes. No caso da imigrante, foi selecionada uma falante originária do Marrocos, com particularidades trazidas do árabe e do árabe-judaico que vigeu naquele país. A exposição de alguns modelos aponta para a impossibilidade de obter uma tradução que realmente enuncie as nuances e impacto cultural particulares expressos por estas periferias.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Nancy Rozenchan, Universidade de São Paulo
Professora Sênior de Língua e Literatura Hebraica da Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas da Universidade de São Paulo e tradutora de literatura hebraica.
Publicado
2016-12-26
Como Citar
Rozenchan, N. (2016). Traduzir o hebraico da periferia - missão possível?. Cadernos De Língua E Literatura Hebraica, (14), 35-46. https://doi.org/10.11606/issn.2179-0892.cllh.2016.125029
Seção
LITERATURA HEBRAICA E JUDAICA