O tráfico de mulheres e o submundo judaico no romance "Maasê Betabaat" [O relato do anel], de Ilan Sheinfeld

  • Gabriel Steinberg Universidade de São Paulo
Palavras-chave: Literatura Judaica, América Latina, Argentina, Zwi Migdal.

Resumo

No romance Maassê Betabaat, Ilan Sheinfeld traça a trajetória de duas famílias que, ao longo de três gerações, estão unidas pelos destinos de um anel com poderes mágicos e que se deslocam desde a cidade de Danzig até Buenos Aires, cidade para a qual milhares de judeus se dirigiram no final do século XIX, atrás de novas oportunidades econômicas. Entre eles, chegaram também aqueles que, determinados a prosperar através da exploração da prostituição, para lá levaram centenas de mulheres que foram transformadas em escravas sexuais.  Nesse romance, Esperanza Gants revela à sua filha um nebuloso e terrível segredo: o de que ela, sua mãe e sua avó tinham sido prostitutas judias.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Gabriel Steinberg, Universidade de São Paulo
Professor de Língua Hebraica na Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas da Universidade de São Paulo.
Publicado
2016-12-26
Como Citar
Steinberg, G. (2016). O tráfico de mulheres e o submundo judaico no romance "Maasê Betabaat" [O relato do anel], de Ilan Sheinfeld. Cadernos De Língua E Literatura Hebraica, (14), 94-113. https://doi.org/10.11606/issn.2179-0892.cllh.2016.125033
Seção
LITERATURA HEBRAICA E JUDAICA