Paradoxos alexandrinos

  • Luis Krausz Universidade de São Paulo
Palavras-chave: Literatura Mizrachi, Alexandria, Exílio, Literatura Judaica, Literatura Hebraica.

Resumo

Este artigo analisa duas representações literárias da vida judaica em Alexandria: os romances Kaitz Alexandroni, de Itzhak Gormezano-Goren, e Out of Egypt, de André Aciman. Dá-se ênfase aos significados atribuídos à identidade judaica no contexto de uma sociedade cosmopolita, na qual a presença hegemônica de uma classe dominante colonial, de extração europeia, torna os árabes estrangeiros em sua própria terra. Gormezano-Goren e Aciman focalizam, em suas narrativas, a vida da burguesia judaica de Alexandria, que parece viver numa condição extraterritorial, sonhando com os grandes centros da Europa e, ao mesmo tempo, marcada por um provincianismo mal-disfarçado. A ascensão de Nasser ao poder e a expulsão dos judeus do Egito levarão essa população a se dar conta da artificialidade de seu ecúmeno abstrato, precipitando-os num novo exílio, para o qual parece não existir redenção possível.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Luis Krausz, Universidade de São Paulo
Professor de Literatura Hebraica na Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas da Universidade de São Paulo.
Publicado
2016-12-26
Como Citar
Krausz, L. (2016). Paradoxos alexandrinos. Cadernos De Língua E Literatura Hebraica, (14), 63-84. https://doi.org/10.11606/issn.2179-0892.cllh.2016.125043
Seção
LITERATURA HEBRAICA E JUDAICA