Otto Maria Carpeaux: O que Não Pôde Ser Dito

  • Carol Colffield Universidade de São Paulo

Resumo

Reconstituir vidas na forma escrita é também navegar sobre os silêncios de seus protagonistas. Neste ensaio, que é parte de um universo de estudo maior focado nos intelectuais judeus perseguidos pelo nazifascismo e refugiados no Brasil, enveredamos pelos silêncios de um desses personagens, Otto Maria Carpeaux (Viena, 1908 – Rio de Janeiro, 1978) e pelas descobertas que resultaram da análise de documentos obtidos em arquivos na Áustria e em Israel, os quais revelam aspectos até então não registrados pela historiografia no que se refere tanto às origens do autor quanto ao seu passado de perseguições na Europa. Além do interesse intrínseco à própria trajetória de Carpeaux, tais descobertas confirmam que, em seu caso, o exílio não significou o fim da violência.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Carol Colffield, Universidade de São Paulo
Doutoranda do Programa de Pós-Graduação em Estudos Judaicos e Árabes (FFLCH-USP). Pesquisadora do Arqshoah-LEER-USP e bolsista do Projeto Vozes do Holocausto, ambos coordenados pela Profa. Dra. Maria Luiza Tucci Carneiro.
Publicado
2018-01-23
Como Citar
Colffield, C. (2018). Otto Maria Carpeaux: O que Não Pôde Ser Dito. Cadernos De Língua E Literatura Hebraica, (15), 145-154. https://doi.org/10.11606/issn.2179-0892.cllh.2017.142468
Seção
LITERATURA, ESTUDOS BÍBLICOS E LINGUÍSTICOS