Bashevis Singer: tradição e modernidade

  • Eziel Belaparte Percino Universidade de São Paulo
Palavras-chave: Isaac Bashevis Singer, tradição, modernidade

Resumo

Este artigo discorre sobre uma ambivalência presente nos contos de Bashevis Singer. Partindo do fato de que uma tensão entre tradição e modernidade, no contexto das produções literárias mais evidentemente marcadas pelo pano de fundo sociocultural judaico, está presente em muitos contistas desde o século XIX, embora sempre realizada de maneiras muito diferentes, e buscando o substrato teórico voltado à especificidade do conto judaico contemporâneo, são tomados aqui, especialmente, os contos de Bashevis Singer em que o schtetl, a aldeia judaica da Europa Oriental, aparece como cenário. A breve análise resulta em uma proposição bem definida: ao retomar paixões e fantasias poderosas, inspiradas pelo misticismo e pelo folclore judaicos, Bashevis Singer realiza, na verdade, o registro de uma oscilação incontornável entre dois mundos, dois polos, sob o signo da ambivalência, sem necessariamente emitir juízo.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Eziel Belaparte Percino, Universidade de São Paulo
Doutorando em Teoria Literária e Literatura Comparada pela Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas da Universidade de São Paulo.
Como Citar
Percino, E. (1). Bashevis Singer: tradição e modernidade. Cadernos De Língua E Literatura Hebraica, (10), 121-132. https://doi.org/10.11606/issn.2179-0892.cllh.2012.53656
Seção
LITERATURA HEBRAICA E JUDAICA