A Carta sobre o Infinito de Espinosa Como Recepção da crítica de Crescas a Maimônides

  • Alexandre Leone Universidade de São Paulo
Palavras-chave: Espinosa, Infinito, Crescas, Maimônides, Existência de Deus.

Resumo

Na Carta sobre o Infinito Espinosa cita a prova da existência de Deus feita por Hasdai Crescas (1340 - 1411), que fez a mais veemente crítica ao aristotelismo medieval judaico. A
crítica de Crescas começa pela refutação das 26 proposições que Maimônides usou para com elas provar a existência de um Deus radicalmente transcendente. As primeiras três negam a possibilidade do infinito atual. Crescas em sua crítica à terceira proposição argumenta em prol da existência da série infinita de causas e efeitos, entendendo a causa primeira como causa ontológica imante de a toda série e que é determinante para a existência dos infinitos efeitos. Para Crescas essa causa primeira simultânea aos seus infinitos efeitos é Deus. Eis a primeira formulação da imanência na filosofia judaica. Ler Espinosa a luz da crítica de Crescas a Maimônides faz emergir a relação de recepção que esse filósofo moderno mantém com a filosofia judaica medieval.

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
2014-08-04
Como Citar
Leone, A. (2014). A Carta sobre o Infinito de Espinosa Como Recepção da crítica de Crescas a Maimônides. Cadernos De Língua E Literatura Hebraica, (11). https://doi.org/10.11606/issn.2179-0892.cllh.2013.83501
Seção
CULTURA JUDAICA