O ringue de Iúli Daniel

  • Marina Darmaros Universidade de São Paulo
Palavras-chave: URSS, poesia, Estudos da Tradução, Literatura Russa

Resumo

Iúli Daniel nunca se considerou poeta, como relembra seu filho, Aleksandr, em introdução a este artigo. Mas, durante os cinco anos entre o cárcere e o gulag, o tradutor dedicou-se a uma produção autoral que resultou na publicação de uma coletânea de poemas, entre eles, “O ringue”, aqui vertido do russo ao português pela primeira vez, apesar de sua figura ter ganhado alguma repercussão no Brasil ainda nos anos 1960, quando de sua prisão.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Marina Darmaros, Universidade de São Paulo

Doutoranda no Departamento de Cultura e Literatura Russa da Universidade de São Paulo (USP). Foi pesquisadora no Departamento de Filologia da Universidade Estatal de Moscou Lomonóssov e tem mestrado pela Universidade Russa da Amizade dos Povos (Patrice Lumumba). Atualmente, pesquisa as conexões entre o escritor brasileiro Jorge Amado e a União Soviética, com foco no gatekeeping e cotejo da obra original com suas traduções para o russo, além de documentos dos arquivos soviéticos em Moscou. 

Publicado
2018-06-08
Como Citar
Darmaros, M. (2018). O ringue de Iúli Daniel. Cadernos De Literatura Em Tradução, (20), 109-127. Recuperado de http://www.revistas.usp.br/clt/article/view/146792
Seção
Período soviético e Revolução