"Crime e Castigo" em reflexos: uma análise comparativa das traduções direta e indireta

  • Ekaterina Vólkova Américo Universidade Federal Fluminense
  • Melissa Teixeira Siqueira Barbosa Universidade Federal Fluminense
Palavras-chave: Tradução, Literatura russa, Dostoiévski, Crime e Castigo

Resumo

É bem provável que o romance Crime e Castigo (1866) de Fiódor Dostoiévski seja a obra da literatura russa mais conhecida no mundo todo. Apesar de diversas edições do romance terem circulado no Brasil na primeira metade do século XX, a primeira tradução verdadeiramente brasileira, assinada por Rosário Fusco, foi publicada apenas em 1949. Ao comparar a tradução indireta, feita por Rosário Fusco a partir do texto em francês, com a primeira tradução direta, realizada por Paulo Bezerra e publicada em 2001, confirmamos um amaneiramento geral do texto original na versão indireta, bem como cortes e alterações de estilo e paragrafação.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Ekaterina Vólkova Américo, Universidade Federal Fluminense

Professora de Língua e Literatura Russa da Universidade Federal Fluminense - UFF (2015) e docente do Programa de Pós-graduação em Literatura e Cultura Russa da Universidade de São Paulo (USP). Tradutora e pesquisadora das obras de Iúri Lotman, Mikhail Bakhtin, Pável Medviédev, Valentin Volóchinov e Piotr Bogatyriov, entre outros. Organizou e traduziu, em parceria com Sheila Vieira de Camargo Grillo, os livros Marxismo e filosofia da linguagem de Valentin Volóchinov (Editora 34, 2017), O método formal nos estudos literários de Pável Medviédev (Contexto, 2012) e Questões de estilística no ensino de língua de Mikhail Bakhtin (Editora 34, 2013).

Melissa Teixeira Siqueira Barbosa, Universidade Federal Fluminense

Graduanda em Letras - Português/ Inglês pela Universidade Federal Fluminense. É tradutora russo-português e inglês-português. Junto a Ekaterina Vólkova Américo traduziu os artigos “Sobre a questão do sufrágio feminino na sociedade russa, nos ziémstvo e nas cidades” (1907), de Liubóv Guriévitch; “Os sindicatos e a trabalhadora” (1921), de Aleksandra Kollontai e “Mulher e Política” (1908) de Elena Kuvchínskaia; presentes no livroA Revolução das Mulheres (Boitempo, 2017) organizado por Graziela Schneider.

Publicado
2018-06-08
Como Citar
Américo, E., & Barbosa, M. (2018). "Crime e Castigo" em reflexos: uma análise comparativa das traduções direta e indireta. Cadernos De Literatura Em Tradução, (20), 353-369. Recuperado de http://www.revistas.usp.br/clt/article/view/146851