Entrevista com Susanna Witt: História da tradução soviética foi assunto sensível e, por isso, negligenciado

  • Marina Darmaros Universidade de São Paulo

Resumo

Susanna Witt tem formação em Estudos Eslavos e defendeu seu doutorado, em 2001, sobre a criação de Doutor Jivago por Pasternak, na Universidade de Estocolmo, onde leciona atualmente. De lá para cá, enveredou nos caminhos dos Estudos da Tradução, área de pesquisa sobre a qual se debruça atualmente, dedicando-se principalmente à era soviética.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Marina Darmaros, Universidade de São Paulo

Doutoranda no Departamento de Cultura e Literatura Russa da Universidade de São Paulo (USP). Foi pesquisadora no Departamento de Filologia da Universidade Estatal de Moscou Lomonóssov e tem mestrado pela Universidade Russa da Amizade dos Povos (Patrice Lumumba). Atualmente, pesquisa as conexões entre o escritor brasileiro Jorge Amado e a União Soviética, com foco no gatekeeping e cotejo da obra original com suas traduções para o russo, além de documentos dos arquivos soviéticos em Moscou.

Publicado
2018-06-08
Como Citar
Darmaros, M. (2018). Entrevista com Susanna Witt: História da tradução soviética foi assunto sensível e, por isso, negligenciado. Cadernos De Literatura Em Tradução, (20), 484-506. Recuperado de http://www.revistas.usp.br/clt/article/view/146895