Educação para a comunicação e redes sociais: proposta de trabalho com a linguagem cinematográfica

  • Mariana Pícaro Cerigatto Universidade Estadual Paulista
  • Lígia Beatriz Carvalho de Almeida Universidade Federal de Campina Grande
Palavras-chave: redes sociais, mídia- -educação, aprendizagem colaborativa, linguagem cinematográfica

Resumo

As ferramentas digitais da Web 2.0 mudaram significativamente a nossa relação com a informação, como nos comunicamos com os outros e nossa experiência on-line. Diante disso, novas possibilidades de aprendizagem surgem. Paralelamente ao avanço das tecnologias em rede, podemos também citar a importância da educação para os meios de comunicação, a chamada educomunicação ou educação para a mídia, que se torna essencial para uma formação cidadã e autônoma. O objetivo deste artigo é apresentar uma proposta de atividades com a mídia-educação que utiliza as redes sociais, e mostrar que é possível trabalhar, através das redes, com conteúdos que visem à mídia-educação, sob uma ótica de aprendizagem colaborativa e interativa.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Mariana Pícaro Cerigatto, Universidade Estadual Paulista

Jornalista, mestre em TV Digital e doutoranda em Ciência da Informação pela Universidade Estadual Paulista (Unesp). Integrante do grupo de pesquisa EpisCom. 

Lígia Beatriz Carvalho de Almeida, Universidade Federal de Campina Grande

Professora adjunta da Universidade Federal de Campina Grande (PB). Doutora em Educação, mestre em Comunicação Midiática, pesquisadora da relação entre educação e tecnologias da informação e da comunicação. Integrante do grupo de pesquisa EpisCom.

Referências

ALMEIDA, L. B. C. Formação do professor do ensino básico para a educação para a mídia: avaliação de um protótipo de currículo. Tese (Doutorado em Educação) - Faculdade de Filosofia e Ciências, UNESP, Marília, 2012.

BEHRENS, M. O paradigma emergente e a prática pedagógica. Curitiba: Champagnat, 2000.

BRUNER, J. La Educación Puerta de la Cultura. Madrid: Visor, 1999.

BUCKINGHAM, D. Media education: literacy, learning and contemporary culture. Cambridge: Polity Press, 2003.

CASTELLS, M. The rise of the network society, the information age: economy, society and culture. Cambridge, MA; Oxford, UK: Blackwell, 1996.

CERIGATTO, M. P.; SIQUEIRA, A. B.. Media literacy: estudando o trailer do cinema no ensino médio. 2008. 90f. Trabalho de iniciação científica (graduação em jornalismo) – Universidade do Sagrado Coração, Bauru.

CITELLI, A. Comunicação e educação: A Linguagem em Movimento. São Paulo: Senac, 2004.

DANCYGER, K. Técnicas de edição para cinema e vídeo: história, teoria e prática. Rio de Janeiro: Elsevier, 2003.

EISENSTEIN, S. O sentido do filme. Rio de Janeiro: Zahar, 1990.

JENKINS, H. Convergence culture: where old and new media collide. Nova Iorque: New York University, 2006.

LEMOS, A. Cibercultura e remix. In: Seminário “Sentidos e Processos”. São Paulo, Itaú Cultural, agosto de 2005. Disponível em: <http://www.facom.ufba.br/ciberpesquisa/andrelemos/remix.pdf >Acesso em: 20 fev. 2014.

LÉVY, P. A inteligência coletiva: por uma antropologia do ciberespaço. 4.ed. São Paulo: Loyola, 2003.

LITTO, F. M. A nova ecologia do conhecimento: conteúdo aberto, aprendizagem e desenvolvimento. Inclusão Social, Brasília, v.1, p. 73-78, 2006.

NIELSEN. Global Faces and Networked Places: A Nielsen report on Social Networking’s New Global Footprint: The Nielsen Company, 2009. Disponível em: <http://www.nielsen.com/content/dam/corporate/us/en/newswire/uploads/2009/03/nielsen_globalfaces_mar09.pdf>. Acesso em: 25 out. 2012.

SALVAT, G. B. Aprendizajes, Conexiones y Artefactos: la producción colaborativa del conocimiento. Barcelona: Gedisa, 2008.

SIQUEIRA, A.B. Educação para a mídia como política pública: experiência inglesa e proposta brasileira. Comunicação e Política, Rio de Janeiro, v. 25, n. 1, p.73-100, 2007. Disponível em: <https://www.academia.edu/2120855/Educa%C3%A7%C3%A3o_para_a_m%C3%ADdia_como_pol%C3%ADtica_p%C3%BAblica_experi%C3%AAncia_inglesa_e_proposta_brasileira>. Acesso em: 06 ago. 2014

SOARES, I. O. Base Nacional Comum Curricular: Existe Espaço para a Educomunicação e a Mídia Educação no novo projeto do MEC?. São Paulo: Issu, 2015. 16 p. Disponível em: <http://issuu.com/abpeducom/docs/texto_bncc_-_existe_espa__o_para_a_/1>. Acesso em: 01 out. 2015.

_____. Construção de roteiros de pesquisa a partir dos livros da coleção Educomunicação (Editora Paulinas). Comunicação & Educação, Brasil, v. 19, n. 2, p. 135-142, set. 2014;

_____. Educomunicação e a formação de professores no século XXI. Revista FGV online, Brasil, ano 4, n. 1, jan./jul., 2014, pp. 18-37.

TODOROV, T. As estruturas narrativas. São Paulo: Perspectiva, 2003.

WENGER, E. Comunidades de práctica aprendizaje significado e identidad. Buenos Aires: Paidos, 2001.

Publicado
2017-06-06
Como Citar
Cerigatto, M., & de Almeida, L. B. (2017). Educação para a comunicação e redes sociais: proposta de trabalho com a linguagem cinematográfica. Comunicação & Educação, 22(1), 53-61. https://doi.org/10.11606/issn.2316-9125.v22i1p53-61