Que horas ela volta? Uma crônica cinematográfica

  • Maria Ignes Carlos Magno Universidade Anhembi Morumbi
Palavras-chave: Cinema brasileiro, Crônica, Comunicação audiovisual.

Resumo

O filme Que horas ela volta? (2015), de Anna Muylaert e o sucesso de crítica e de público, despertou o interesse em entender o porquê de uma história tão simples estar fazendo tanto sucesso. A proposta dessa resenha é a de pensar o filme sob a ótica da crônica. Uma crônica cinematográfica.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

CANDIDO, Antonio. Formação da literatura Brasileira. (Momentos decisivos). 1 volume (1750-1836). 4ª edição. São Paulo: Editora Martins Fontes S.A. (s/d).

_________________Literatura e Sociedade. Estudos de Teoria e História Literária. 13ª edição. Rio de Janeiro: Ouro sobre Azul, 2014.

GARCIA, Maria Cecília. Reflexões sobre a crítica teatral nos jornais. Décio de Almeida Prado e o problema da apreciação da obra artística no jornalismo cultural. São Paulo: Editora Mackenzie, 2004.

RONCARI, luis. A estampa rotativa na crônica literária. Boletim Bibliográfico da Biblioteca Mário de Andrade, v. 46, p. 9-16, 1985.

Filme – Que horas ela volta?

Roteiro e direção – Anna Muylaert

Gênero – Drama/Comédia

Produção – Fabiano Gullane, Caio Gullane, Débora Ivanorv

Fotografia – Bárbara Alvarez

Montagem – Karen Harley

Ano - 2015

Publicado
2016-05-02
Como Citar
Magno, M. I. (2016). Que horas ela volta? Uma crônica cinematográfica. Comunicação & Educação, 21(1), 163-169. https://doi.org/10.11606/issn.2316-9125.v21i1p163-169